Turbo quebra novamente mas Nobre e Paula completam Rally da Grã Bretanha

15 de novembro de 2010

Pelo segundo dia consecutivo a dupla brasileira Paulo Nobre/Edu Paula (Link Trade) enfrentou problemas com o turbo de seu Mitsubishi Lancer Evo X durante o Rally da Grã Bretanha. Neste domingo (14/11), a falha ocorreu logo na primeira Especial, mas ao contrário do dia anterior, os brasileiros não deixaram a competição e seguiram nas estradas que cercam a cidade de Cardiff, no País de Gales e completaram todas as Especiais do dia final da última etapa do Campeonato Mundial de Rali de 2010. 

Paulo Nobre e Edu Paula comemoraram um ano de participação no Campeonato Mundial de Rali, já que foi justamente nesta etapa em 2009 que eles estrearam em competições de rali na Europa. Nesse um ano a dupla evoluiu dentro da categoria P-WRC (carros de produção) e o objetivo era repetir o resultado anterior, onde eles completaram o Rally da Grã Bretanha. “Sem dúvidas foi melancólico perder a potência do carro novamente, ainda mais logo no comecinho de uma Especial deliciosa de se fazer “a moda”, mas fazer o quê? O importante é que conseguimos chegar no final e não abandonamos a prova! Carregar a bandeira do Palmeiras no carro é uma grande responsabilidade. Desistir, nunca!!!”, finalizou Nobre.

O navegador Edu Paula até fez um paralelo do dia de hoje da dupla brasileira com outra situação famosa no esporte. “Quando largamos, a emoção de terminar o Mundial com o “pé no porão” era grande! A primeira e a terceira Especiais de hoje tinham 30 km e era maravilhosa de andar forte! Mas quando sentimos que o turbo tinha ido pro saco novamente, foi frustrante. Aí fizemos como aquela maratonista em uma olimpíada anos atrás. Fomos capengando até o final para terminar o rali “correndo”!” contou o navegador Edu Paula.

Pela primeira vez uma dupla brasileira disputou toda a temporada do Campeonato Mundial de Rali e o saldo para Paulo Nobre e Edu Paula foi positivo. Nas primeiras três etapas eles pontuaram com um 8º (Suécia), um 7º (Jordânia) e um 6º (Nova Zelândia) lugares. Já nas três provas finais, problemas mecânicos impediram que os brasileiros continuassem a frequentar a zona de pontuação, mas o ganho de performance nos trechos confirma a evolução da dupla no ano. Na classificação final da categoria P-WRC, os brasileiros ficaram na 15ª colocação com 18 pontos somados. Os campeões da categoria foram os portugueses Armindo Araújo/Miguel Ramalho. 

Classificação final da categoria P-WRC no Mundial de Rali

1º Armindo Araújo/Miguel Ramalho, 126 pontos

2º Patrik Flodin/Gorän Bergsten, 100 

3º Hayden Paddon/John Kennard, 97

15º Paulo Nobre/Edu Paula, 18 pontos