F3 Inglesa: Yann Cunha correrá pela T-Sport em 2011

18 de novembro de 2010

A Fórmula 3 Inglesa, categoria pela qual passaram praticamente todos os pilotos brasileiros que chegaram à Fórmula 1, será o destino do brasiliense Yann Cunha em 2011. Ele assinou nesta terça-feira contrato de um ano com a equipe T-Sport, e vai cumprir, ainda em 2010, uma série de testes com o time para conhecer as principais pistas do campeonato inglês.

Aos 19 anos de idade, Yann Cunha chega ao automobilismo europeu depois de apenas duas temporadas completas na Fórmula 3 Sul-Americana, que renderam a ele cinco vitórias e sete pole positions na competição.  “Nossa relação com a T-Sport começou há alguns meses, quando fiz meu primeiro teste no automobilismo europeu”, comentou Yann Cunha. “Tive contato com outras equipes, cogitamos até mesmo correr em outros campeonatos, mas estou certo de que fizemos a melhor escolha”, disse o brasileiro.

A opção pelo campeonato inglês, segundo Cunha, deveu-se ao elevado nível técnico da competição, e ao grande número de treinos e corridas previstos para 2011 com a T-Sport. No país com o maior número de autódromos da Europa, ele espera respirar automobilismo 24 horas por dia. “Cada estágio percorrido na minha carreira exige um nível maior comprometimento e de profissionalismo. E, pensando em meu desenvolvimento como piloto, acredito que a Inglaterra seja o melhor destino. Além do campeonato ser muito competitivo, estarei no berço do esporte a motor mundial”, completou.

A T-Sport já foi a casa do brasileiro Gabriel Dias e do mexicano Sergio Perez – um dos destaques da GP2 em 2010 -, e é atualmente uma das equipes que utilizam motores Volkswagen na F-3 Inglesa. Fundada em 2001, a estrutura é chefiada por Russel Eacott, que antes de gerenciar sua própria equipe comandou a Portman Arrows na F-3 e na F-3000.

Dando continuidade ao trabalho que o levou à conquista de ótimos resultados na Fórmula 3 Sul-Americana, Yann Cunha desembarca na Europa com um planejamento de longo prazo. Para o ano de estréia, ele espera superar as dificuldades iniciais impostas pelo clima, pelos circuitos desconhecidos e pela nova rotina de trabalho, para buscar o título em 2012. “O automobilismo moderno é bem diferente daquele de algumas décadas atrás, quando muitos brasileiros foram campeões no mesmo ano em que estrearam na Europa. Hoje em dia a dinâmica do esporte é outra, e esse ano de aprendizado é quase obrigatório. Naturalmente eu espero surpreender já em 2011, mas prefiro manter os pés no chão. Na F-3 Sul-Americana trabalhamos dessa maneira e acabou dando certo”, continuou Cunha.

Fotos: Fernanda Freixosa/Divulgação