Começou o desafio de Lucas Foresti em Macau

19 de novembro de 2010

Nesta quinta-feira, dia 18, o brasileiro Lucas Foresti (RADIEX) começou sua participação no 57º Macau Grand Prix of F-3. A bordo do carro da equipe Fortec Motorsport o piloto brasileiro teve sua primeira experiência no circuito da ex-colônia portuguesa e, também, o primeiro contato em evento oficial com o Dallara-F310 do novo time que representará no exterior daqui por diante.

O primeiro desafio de Foresti e principal preocupação nesta primeira sessão foi de se familiarizar com o circuito de 6.120 metros de extensão. Além de muito extensa a pista é toda montada nas ruas da cidade. Seu traçado é extremamente particular e mescla trechos de alta velocidade, onde os carros da F-3 superam os 230 km/h com curvas muito fechadas onde são contornadas a cerca de 40 kmh/h. Uma outra dificuldades da pista é manter limpo o traçado ideal uma vez que quando os carros não estão andando as ruas são abertas para o tráfego de veículos de rua.

Participam desta 57ª edição do GP de Macau 30 pilotos convidados. Além de Lucas, estão representando as cores do Brasil no evento os pilotos Rafael Suzuki, que compete pela equipe TOM’S (Japão) e Luiz Felipe Nasr – Raikkonen Robertson Racing (Inglaterra).

Após uma sessão de treinos livres e a primeira tomada de tempos Lucas comentou o primeiro dia do evento. “Estou bastante motivado com essa oportunidade de pilotar em Macau com os melhores pilotos do mundo. Nestes dois primeiros treinos segui exatamente a orientação do pessoal da equipe e procurei me concentrar em aprender o traçado e ir melhorando a cada volta. Aconteceram várias batidas e foi perdido muito tempo para limpeza do traçado. Só conseguimos dar 11 voltas na sessão livre. As diferenças de tempo aqui assustam um pouco, pois, como o circuito é muito grande e a volta é completada com mais de dois minutos um erro gera no final da volta diferenças quase sempre superiores a um segundo”, explicou.

“Na sessão classificatória comecei a ajustar meu carro para as condições da pista e melhorei meu tempo em mais de seis segundos em relação ao treino livre. Meus concorrentes também melhoraram, mas, bem menos do que eu. Novamente só foram possíveis 11 voltas, mas, estou satisfeito pois apesar da pista ser muito estreita consegui me manter na pista e melhorar a cada volta. A pista de Macau e bastante desafiadora com curvas cegas e também muito veloz. Foi importante para mim ter me concentrado em
apenas dar o meu máximo de voltas e, no próximo treino livre farei exatamente igual. Para, na segunda classificatória, aí sim vir com força total e buscar as melhores posições do grid de largada. Estou na pista com concorrentes com até quatro anos de F-3 e, certamente, tudo está sendo de muita importância para meu futuro”, finalizou o representante da RADIEX.