Características de Interlagos animam pilotos do Mundial FIA GT1

23 de novembro de 2010

O Brasil recebe pela primeira vez uma etapa do Mundial FIA GT1 e logo na estreia da categoria no País o Autódromo de Interlagos – José Carlos Pace pode ser o palco da decisão do título. Neste fim de semana, nos dias 26, 27 e 28 de novembro, a nona e penúltima prova da principal divisão de gran turismo do mundo será realizada no circuito, que recebeu diversos elogios dos participantes do Mundial.

O italiano Andrea Bertolini, que lidera o campeonato ao lado do alemão Michael Bartels com um modelo Maserati MC12, disse que espera dificuldades para conquistar o campeonato no Brasil. “Ganhar o título em Interlagos será difícil para nós por causa do peso do nosso carro. O Ford GT é mais leve e eu acho que o Thomas vai se dar melhor do que nós nas retas e mudanças de relevo”, afirmou.

Ele se refere ao principal rival na luta pelo título, o alemão Thomas Mutsch. Bertolini ressaltou que a estratégia da equipe deve ser semelhante à dos rivais. “Será muito importante termos as mesmas escolhas que os outros, sejam elas certas ou erradas”, disse o italiano, que aproveitou para brincar com o fato de o circuito paulistano ter o sentido anti-horário. “Espero ter dores no pescoço, porque isso significaria que fomos muito rápidos”. O brasileiro que chega com melhores resultados para a corrida em casa é Ricardo Zonta, que ganhou a prova principal da Bélgica, em Spa-Francorchamps, e venceu também as duas baterias da última etapa, em Navarra, na Espanha, com um Lamborghini Murcielago 670 R-SV.

O piloto, que ocupa a sexta colocação na tabela de pontos mesmo sem disputar regulamente o campeonato, disse que tem boa expectativa para a prova. “As oportunidades de ultrapassagens neste circuito estão na reta principal, porque ela é muito longa, e os motores vão fazer a diferença. Acredito que a pista será boa para o Lamborghini, pois há curvas boas para tração e curvas de média velocidade”.

“E acho que os fãs brasileiros vão adorar o Mundial FIA GT1”, acrescentou o paranaense, conterrâneo do brasileiro que disputa todas as etapas da temporada, Enrique Bernoldi. “Estou confiante em ter um ritmo forte em Interlagos e lutarei pela vitória para ajudar o meu time a conquistar o título de equipes. É ótimo poder correr no meu País novamente em um campeonato mundial e minha motivação é alta”.

“É um circuito no sentido anti-horário e isso faz um pouco de diferença, então tenho de esperar para ver como um carro de GT1 se comporta nele. É um traçado mais exigente do que a maioria, pois tem muitas curvas de alta e algumas de baixa velocidade também. É uma ótima pista para ultrapassagens, então será divertido tanto para os pilotos quanto para os espectadores”, acrescentou Enrique Bernoldi.

Outro piloto que se mostrou empolgado com o traçado de Interlagos é o alemão Michael Krumm. “Esta é uma pista muito famosa e será emocionante guiar nela, principalmente depois de ver tantas corridas pela TV. Nosso carro, o Nissan GT-R, deve se adaptar bem a ela, então a expectativa é boa”, comentou o piloto, que destacou uma curiosidade.

“A única grande diferença será nossa posição nos pits. Como nosso carro tem o volante do lado direto, nós ficaremos do outro lado para a troca de pilotos”, afirmou. Krumm ainda disse que não se preocupa com as típicas condições imprevisíveis de tempo em Interlagos. “Normalmente, nosso carro é muito competitivo na chuva, então qualquer condição será bem-vinda”, finalizou o alemão.

O dinamarquês Christoffer Nygaard também entrou no grupo dos que elogiam a pista. “Interlagos tem um traçado empolgante e nosso Aston Martin DB9 deve se dar bem, já que há muitas curvas de alta velocidade. Além disso, o circuito é também um ícone das corridas de Fórmula 1, o que deixa o fim de semana mais especial ainda”, disse o piloto.

Para ele, o fato de ser anti-horário não vai afetar seu desempenho. “Honestamente, eu não acredito que isso influencie meu desempenho. Há sempre curvas para a direita e para a esquerda em um circuito moderno, e meu treino não é focado em um tipo especial de curva. Já que o campeonato começou em uma pista com sentido anti-horário, acho que todos estão prontos para isso. Eu sei que estou”, finalizou.

A temporada 2010 do Mundial FIA GT1 se iniciou em Abu Dhabi e depois passou por sete circuitos europeus: Silverstone, Brno, Paul Ricard, Spa-Francorchamps, Nurburgring, Algarve e Navarra. Depois de deixar o Brasil, a categoria vai a São Luís, na Argentina, para a última etapa do calendário. Aqui, a prova do Mundial FIA GT1 será realizada em conjunto com a programação do Itaipava GT Brasil.

A etapa brasileira do Mundial FIA GT1 terá transmissão ao vivo pela RedeTV! no domingo (28) a partir das 14h45.