F-1: "Uma experiência incrível", diz Cesar Ramos após teste com a Ferrari

3 de dezembro de 2010

O “grande dia” do gaúcho Cesar Ramos finalmente chegou. Exatamente às 9h30 na Itália (5h30 no Brasil), desta quinta-feira (dia 2), o piloto acelerou um Fórmula 1 pela primeira vez. O teste com a equipe Ferrari – prêmio pela conquista do título da F-3 Italiana – aconteceu em Vallelunga, próximo a Roma.

Foram quatro saídas e o total de 30 voltas. O único empecilho foi a condição da pista. Nos dois últimos dias, choveu muito na região, bem como na noite anterior ao teste. Com o asfalto molhado, Ramos só pôde passar pneus slicks novos na última saída dos boxes, quando a pista estava secando. O piloto registrou sua melhor volta em 1min17s100.

Além de Ramos, o monegasco Stephane Richelmi (vice-campeão da F-3 Italiana) e o italiano Andrea Caldarelli (terceiro colocado) também participaram da sessão. A ordem do teste respeitou a classificação final do campeonato. Mesmo enfrentando situação melhor, Richelmi não conseguiu ser mais rápido que o brasileiro e virou em 1min17s970. Já Caldarelli foi quem teve a melhor condição. Testando à tarde, pegou pista seca o tempo todo, passou dois jogos de pneus slicks novos e fez o tempo de 1min16s360.

“Como eu esperava, foi uma experiência incrível. O carro é superior ao que eu imaginava. A única coisa complicada é que fui o primeiro a andar e peguei pista úmida. Perdi um pouco de tempo para me adaptar e pegar confiança nesta situação. Depois, a pista começou a melhorar, mas só havia um trilho seco e eu tinha de tomar muito cuidado para não errar e sair dessa linha”, comentou o piloto, que se tornou o primeiro gaúcho a acelerar um F-1.

“Só na minha terceira saída dos boxes, coloquei pneus slicks e, na última, passamos um jogo novo. Analisando tranquilamente e olhando o lado positivo, foi muito bom. Provavelmente, os outros pilotos não teriam feito melhor nas condições que eu andei. O Richelmi, mesmo enfrentando situação melhor, ficou quase nove décimos atrás do meu tempo. Já o Caldarelli teve vários fatores que o favoreceram: como a pista melhor, ter passado dois jogos de pneus novos, além do fato de já ter guiado um F-1 antes (foi piloto de testes da Toyota)”, continuou Ramos.

“Mas o importante é que cumpri o meu objetivo de conhecer o carro e progredir a cada saída. Foi uma pena não pegar condições melhores na pista, mas não tínhamos como adivinhar. Poderia ter amanhecido com sol e chovido depois. Faz parte do jogo”, destacou.

“O retorno que tive do pessoal da equipe Ferrari também foi muito bom. Todos gostaram e elogiaram bastante. Enfim, foi demais cada momento do teste, desde que liguei o carro até a última volta. Vai ser um dia inesquecível”, completou Ramos.

O piloto ficará na Europa até dia 10, onde continua negociando para a temporada 2001, e depois embarca para o Brasil.

Ramos iniciou sua carreira no kart em 1998. Foi bicampeão brasileiro na modalidade (1999 e 2003), campeão Sul-brasileiro (1999) e campeão paulista (2004). Em 2007, estreou nos monopostos e foi campeão do Torneio de Inverno da F-Renault Italiana. Na temporada 2010, na F-3 Italiana conquistou três vitórias e oito pódios no total.