Burti sai prejudicado em Santa Cruz do Sul

6 de dezembro de 2010

Para o piloto da Itaipava Racing Team, a corrida não saiu como o esperado: um aquaplane forçou o abandono dele a sete voltas do fim em Curitiba. “A visibilidade era quase zero, eu não estava conseguindo nem acompanhar o safety car em uma das intervenções de tão complicada que era a situação, e em um determinado momento o nosso motor entrou em modo de segurança (sistema automático quando o propulsor apresenta anomalias)”.

“Com isso, perdi potência e senti que precisava arriscar um pouco mais para compensar, mas sofri um aquaplane e acabei escapando. Nessas condições isso acontece muito. Foi uma pena porque estávamos entre os dez primeiros”, contou Luciano Burti. “Mas foi um fim de semana em que as coisas não se encaixaram. Pelo que percebi nas voltas de alinhamento e nas primeiras passagens da corrida, tínhamos um carro competitivo para pista seca”.

David Muffato também não chegou ao fim da corrida. A oito voltas da bandeirada, o carro dele foi atingido com violência por Ricardo Maurício, que vinha na caça ao título e precisou abandonar depois da pancada. Foi um acidente tipicamente causado pelas más condições de visibilidade. “Não dava para ver absolutamente nada. Estava tudo embaçado. A situação era tão crítica que naquele momento eu já estava levando o carro para os boxes, com o pisca-alerta ligado”.

“Infelizmente, acho que o Ricardo (Maurício) não me viu, como eu também não tinha visto ele se aproximar. Não sabia nem com quem havia batido quando vi o carro dele passar”, lamentou David Muffato. “Foi uma pena, porque o carro era bom no seco, era bom na chuva. As coisas complicaram mesmo depois do safety car, ali ficou impossível de guiar por conta da pouca visibilidade”. A Stock Car começa uma nova temporada no dia 20 de março de 2011, em Curitiba (PR).

Foto: Fábio Oliveira.