Scudeler avalia ano de aprendizado ‘para todos’ no Racing Festival

17 de dezembro de 2010

Chegou ao fim no último domingo (12), com as corridas da sexta etapa em Santa Cruz do Sul, a temporada de estreia do Racing Festival. O evento teve a união do automobilismo e da motovelocidade como um dos motes, dando início à disputa da categoria 600cc Hornet. O título da primeira temporada foi conquistado por Maico Teixeira, gaúcho que, num calendário composto por 12 etapas, venceu quatro vezes e obteve quatro segundos lugares.

“A temporada de 2010 foi uma temporada de aprendizado para todos os envolvidos. Para os organizadores, os pilotos, as equipes, todos nós”, avalia o ex-piloto Gilson Scudeler, sete vezes campeão brasileiro de motovelocidade e chefe do Team Scud Petrobras. A equipe, após vários anos conquistando títulos nas competições nacionais da categoria Superbike, estreou na 600cc Hornet e foi vencedora de uma das etapas, com o paranaense Diego Faustino.

Quatro pilotos competiram pelo Team Scud Petrobras neste campeonato. Faustino participou das seis rodadas duplas. O paulista Pierre Chofard disputou quatro delas. Na terceira, realizada em Interlagos, recuperava-se de uma contusão e foi substituído pelo conterrâneo Otávio Lucchini. Na sexta, no último domingo em Santa Cruz do Sul, viu-se obrigado a priorizar compromissos profissionais. Em seu lugar correu o gaúcho Robson Portaluppi.

“A mudança de categoria e do equipamento nos confrontou com um novo desafio, o de aprendermos a lidar com a moto. Isso envolveu a equipe, no trabalho de acerto e de preparação, e também os pilotos”, comenta Scudeler. “O Diego, por exemplo, já vinha competindo com a Hornet nos últimos anos e teve um processo de adaptação menos conturbado. Pierre, que é um piloto vencedor na Superbike, enfrentou algumas dificuldades a mais”, ele expõe.

Faustino, além de vencer a corrida que abriu a quinta rodada dupla, em Brasília no mês de outubro, foi ao pódio outras três vezes, com um terceiro e dois segundos lugares. Terminou o campeonato em sexto. Chofard foi quarto colocado em quatro das oito etapas que disputou. Ficou em oitavo na pontuação final. “Mais importante que os resultados foi a evolução da equipe ao longo do campeonato. A cada etapa, estávamos mais competitivos”, segundo Scudeler.

Scudeler entende que o know-how adquirido nos treinos e nas corridas foi um dos pontos positivos de 2010 para o Team Scud Petrobras. “Principalmente na segunda metade do ano, estávamos sempre ali na primeira fila, disputando poles e vitórias. O começo desse processo de adaptação foi difícil para nós, as equipes adversárias, boa parte delas, já tinham alguma experiência na categoria. Foi uma vantagem natural, que viemos buscando descontar”, diz.

Texto: Luciano Monteiro – Fotos: Vanderley Soares