Desafio das Estrelas: Lucas Di Grassi é campeão

19 de dezembro de 2010

Parecia que o tão desejado título do Desafio Internacional das Estrelas ia ser adiado mais uma vez. Depois de uma vitória importante na prova que abriu a sexta edição do Desafio Internacional das Estrelas 2010, na noite deste sábado (18), no Kartódromo Arena Sapiens, em Florianópolis (SC), o piloto Lucas Di Grassi se viu o obrigado a abandonar a etapa decisiva, na manhã deste domingo (19).

O piloto da equipe Virgin Racing de F1 – que no Desafio competiu pela equipe Dafra/Bombril/TNT/ Itaipava/Linea Adoçante, com parceria de Jovem Pan, Caçula de Pneus, Locaweb, Artmix, Schioppa, Eurobike e Sorocred – abandonou a corrida logo na quarta volta. O motivo foi a quebra do escapamento do motor, depois que a traseira do kart nº 9 de Di Grassi foi acertada em cheio por Antonio Pizzonia, numa tentativa de ultrapassagem infeliz do piloto amazonense.

Com a vitória na disputada etapa de abertura, Di Grassi largou em oitavo na final, como determina o regulamento, que inverte os oito primeiros colocados da primeira prova para a ordem de largada da segunda. Logo após a largada, o piloto do kart 100.9 Jovem Pan/Dafra/TNT pulou para sétimo, e estava no encalço do quarto colocado quando levou a batida. “O Pizzonia me tirou da prova tentando passar em um lugar onde não era possível. Acabou com a minha corrida e com a dele”, lamentou Di Grassi. “Pior para ele, que poderia ter ido para o pódio também.”

A partir daí, o que se viu foi uma briga intensa por todas as posições, especialmente lá na frente, onde Rubens Barrichello, o espanhol Jaime Alguersuari e Vítor Meira alternavam-se na liderança. Depois de nove ultrapassagens, a paulista Bia Figueiredo, que largara em 11º, tomou a primeira posição de Barrichello, conquistando sua primeira vitória em uma etapa da competição. Felipe Giaffone foi o terceiro colocado.

Na combinação de resultados entre as duas provas, como determina o regulamento, Di Grassi terminou na frente. Na contagem dos pontos, Lucas ficou com 25 pela vitória na primeira prova e empatou na liderança com Barrichello (que registrou um 8º e um 2º lugares, respectivamente) Felipe Massa (2º e 11º) e Bia Figueiredo (11ª e 1ª). Di Grassi tornou-se campeão justamente pela vitória registrada no sábado – resultado que, nos critérios de desempate, é superior aos dos demais competidores.

“Foi uma combinação de azar e sorte. Por causa do abandono as coisas tinham ficado bem difíceis para mim, mas quando tem que ser é difícil alguém tirar. E enfim, depois de um vice e dois terceiros lugares, finalmente eu conquistei o título do Desafio”, comemorou o piloto da equipe Dafra/Bombril/TNT/ Itaipava/Linea Adoçante, apoiada também por Jovem Pan, Caçula de Pneus, Locaweb, Artmix, Schioppa, Eurobike e Sorocred. Lucas referia-se aos seus resultados nos anos de 2008, 2007 e 2006, respectivamente, quando sempre esteve entre os favoritos e chegou à segunda prova disputando o título.

Confira a classificação da segunda bateria (domingo):

1. Bia Figueiredo (SP) – 28 voltas em 26min16s166, média de 77,190 km/h
2. Rubens Barrichello (SP) – a 1s361
3. Felipe Giaffone (SP) – a 2s275
4. Tony Kanaan (SP) – a 2s717
5. Marcos Gomes (SP) – a 3s419
6. Allam Khodair (SP) – a 4s789
7. João Paulo Oliveira (SP) – a 5s556
8. Jaime Alguesuari (ESP) – a 6s295
9. Leonardo Nienkotter (SC) – a 8s170
10. Ricardo Zonta (PR) – a 8s679
11. Felipe Massa (SP) – a 9s046
12. Vítor Meira (DF) – a 9s109
13. Enrique Bernoldi (PR) – a 9s790
14. Thiago Camilo (SP) – a 10s525
15. Xandinho Negrão (SP) – 12s078
16. Max Wilson (SP) – a 15s628
17. Ricardo Maurício (SP) – a 16s008
18. Luciano Burti (SP) – a 16s228
19. Hélio Castroneves (SP) – a 18s891
20. Bruno Senna (SP) – a 22s225
21. Alberto Valério (SP) – a 24s538
22. Christian Fittipaldi (SP) – a 7 voltas
23. Popó Bueno (RJ) – a 7 voltas
24. Cacá Bueno (RJ) – a 13 voltas
25. Marcos Pasquim (RJ) – a 23 voltas
26. Lucas Di Grassi (SP) – a 24 voltas
27. Antonio Pizzonia (AM) – a 25 voltas

Classificação da primeira bateria (sábado):

1.Lucas Di Grassi (SP) – 28 voltas em 26min11s874 – média de 77,988 km/h
2. Felipe Massa (SP) – a 2s017
3. Antonio Pizzonia (AM) – a 2s372
4. Jaime Alguesuari (ESP) – a 3s579
5. Tony Kanaan (SP) – a 4s178
6. Marcos Gomes (SP) – a 4s323
7. Vítor Meira (DF) – a 8s246
8. Rubens Barrichello (SP) – a 8s449
9. Luciano Burti (SP) – a 8s712
10. Allam Khodair (SP) – a 9s123
11. Bia Figueiredo – a 12s686
12. Felipe Giaffone – a 13s461
13. Thiago Camilo – a 15s753
14. João Paulo Oliveira – a 17s387
15. Xandinho Negrão – a 22s538
16. Max Wilson – a 23s738
17. Ricardo Maurício – a 23s763
18. Christian Fittipaldi – a 23s859
19. Ricardo Zonta – a 23s880
20. Popó Bueno – a 24s151
21. Bruno Senna – a 25s362
22. Leonardo Nienkotter – a 50s364
23. Alberto Valério – a 1 volta
24. Marcos Pasquim – a 2 voltas
25. Cacá Bueno – a 19 voltas
26. Hélio Castroneves – a 20 voltas
27. Enrique Bernoldi – a 27 voltas

Melhor volta: Lucas Di Grassi, 55s393 (média de 78,443 km/h), na 4ª volta

Classificação final (soma dos pontos das duas baterias):

1. Lucas Di Grassi – 25 pontos – CAMPEÃO
2. Felipe Massa – 25
3. Rubens Barrichello – 25
4. Bia Figueiredo – 25
5. Tony Kanaan – 24
6. Jaime Alguersuari – 21
7. Marcos Gomes – 21
8. Felipe Giaffone – 19
9. Allam Khodair – 16
10. Vitor Meira – 13
11. João Paulo Oliveira – 11
12. Luciano Burti – 7
13. Leonardo Nienkotter – 7
14. Ricardo Zonta – 6
15. Thiago Camilo – 5
16. Enrique Bernoldi – 3
17. Xandinho Negrão – 2 pontos

Fotos:  Everton Rupel – Duda Bairros – Carsten Host/Divulgação.