Dakar Amarok Logbuch 9

2 de janeiro de 2011

Por:  Carlos Lua direto de Buenos Aires.

Agora começou
Gente, gente e mais gente começou a se acomodar em torno do Obelisco da Avenida 9 de Julio em Buenos Aires já na hora do primeiro almoço do ano. Aliás, tinha gente desde o bairro de Palermo (de onde os carros saiam) ao longo do caminho até a rampa de largada localizada no Obelisco. E de lá gente, gente e mais gente até a saída para a auto-estrada que leva até Victoria.

Victoria -Córdoba
A primeira etapa começa amanhã partindo dessa cidade situada às margens do Rio Paraná e que é o centro da indústria pesqueira argentina. Veja os detalhes dela:
Motos e Quadriciclos – 566 km dos quais 192 km cronometrados
Carros e Caminhões – 566 km dos quais 222 km cronometrados
No início é uma especial muito rápida e que vai ficando mais e mais técnica conforme o terreno vai ficando montanhoso. Carros e Caminhões seguem em um roteiro paralelo para não ter que encontrar Motos e Quadriciclos pelo caminho. Uma bela decisão da Organização e a prova de que Buenos Aires em particular e a Argentina em geral têm perfil para esse tipo de evento.

Tempo bom, confetes, discursos e pulos
Foi um longo e variado desfile de todos os participantes (407 no total, finalmente) sob um sol forte, debaixo de um céu azul, tudo acompanhado ao vivo pela TV que espalhou câmaras por todos os lados. A dupla Carlos Sainz/Lucas Cruz do Race Touareg 3 #300 ainda teve direito a uma chuva de confetes de alumínio na sua hora. Depois foram entrevistados, fotografados, aplaudidos e finalmente se viram dentro da calma de seu carro. Começava finalmente para eles naquele momento (5:20 da tarde) o Dakar 2011. Para os que se seguiram (até oito da noite) a rampa ia servindo de palco para improvisações menores ou maiores como a de Robby Gordon que duplicou a dose (dois pulos) de 2010

Na passarela a Amarok
Entre as partidas variadas que tiveram como protagonistas Motos (todas 450 cc), Quadriciclos, um Mini (modelo Maxi, digamos), Buggys com apenas um lugar, carros já rodados, modelos inéditos, estréias importantes, caminhões grandes, caminhões maiores e a presença constante da Amarok um carro Oficial que se integrou de tal maneira à prova e ao seu espírito do Dakar que parece que foi projetado especialmente para ele.

¡Que venga El Dakar!
Aquela sensação geral que todos estavam cansados de festas e de esperar pelo começo da prova foi se desmanchando e sendo substituídos por uma adrenalina incitada pelas cores, sons, saltos e nomes. Nesta hora amanhã já os primeiros resultados vão contribuir mais um pouco para manter a todos hipnotizados até o próximo dia 16.

Fonte: Textobras – Zarhi El Malek.  Fotos: Divulgação.

A coluna é redigida por Carlos Cintra Mauro, o Lua. Um dos mais respeitados jornalistas da área automotiva e eutomobilística,  iniciou  sua carreira na mídia pela publicidade. Engenheiro mecânico e apaixonado por automóveis, teve passagem pelo rádio (Jovem Pan), pela  Sport Tv onde editou o programa Linha de Chegada e hoje integra a equipe da Race TV (www.racetv.com.br).