Manutenção: Cuidado com o cabo de vela

12 de janeiro de 2011

Nessa época de férias em que há um aumento das viagens, muitos motoristas se esquecem de detalhes na hora da manutenção antes de pegar a estrada.

Por isso o site Carros e Corridas, juntamente com a NGK, alerta os condutores de veículos sobre a importância de promover uma revisão preventiva para o período de férias dos cabos de ignição, bem como procurar uma assistência confiável, que utilize peças de procedência conhecida. Os cabos de ignição têm como função conduzir a alta tensão produzida pela bobina (transformador) até as velas, sem permitir fuga de corrente.

De acordo com Ricardo Namie, chefe da Assistência Técnica da NGK, a checagem dos cabos deve ser realizada a cada 60 mil quilômetros para carros movidos a álcool e gasolina ou a cada três anos. Para automóveis a GNV (Gás Natural Veicular) as revisões têm de ser a cada 30 mil quilômetros. No entanto, é imprescindível consultar o Manual do Proprietário, pois nele estão contidas informações e peculiaridades de cada modelo.

“Na hora da troca, o proprietário do veículo deve ficar atento, procurar um estabelecimento de confiança, exigir a nota fiscal e evitar a compra de peças abaixo do preço praticado pelo mercado. Essas são atitudes que auxiliam o consumidor a não cair em armadilha”, recomenda Namie.

Os cabos de ignição são projetados para resistir às altas temperaturas, voltagens, ao ataque de combustível, solventes, etc. Sendo assim, caso a revisão não tenha sido feita corretamente ou não tenha sido realizada, o carro apresenta sinais claros de que as peças estão desgastadas e necessitam de manutenção. Os sintomas mais claros de que os cabos apresentam problemas são a perda de potência e falha do motor e aumento no consumo de combustível. As peças com problemas ou de procedência duvidosa também aumentam as emissões de gases poluentes no ar.