50 anos do Fusca

21 de janeiro de 2011

O Dia Nacional do Fusca, que celebra mais de 50 anos de história de um dos veículos mais queridos e vendidos no mercado automobilístico, foi comemorado nesta quinta (20). Com mais de 3 milhões de unidades comercializadas no Brasil, o Fusca foi produzido entre 1959 e 1996 na fábrica da Anchieta da Volkswagen do Brasil, em São Bernardo do Campo (SP).

A produção foi interrompida em 1986, retornando em 1993 a pedido do então presidente do Brasil, Itamar Franco. O modelo continou a ser produzido no México – onde já era montado desde a década de 1980 – até 2003, quando saiu sua última unidade, hoje exposta em um museu da cidade de Wolfsburg, na Alemanha.

Essa história de sucesso teve início em 1931, com o surgimento da necessidade de um carro pequeno, econômico e de fácil produção. Quando a ideia ganhou popularidade, diversas etapas, testes e protótipos foram criados até o produto chegar aos consumidores. Ferdinand Porsche assinou o contrato que deu início ao desenvolvimento e fabricação do Sedan, nome original do modelo, em 22 de junho de 1934.

No Brasil, o modelo foi importado da Alemanha entre 1950 e 1959 e recebeu o apelido de Fusca. Estima-se que o modelo teve 21 milhões de unidades vendidas em todo o mundo. O Dia Nacional do Fusca foi instituído em 1989 pelo presidente do Sedan Clube, Alexander Gromow.

Neste domingo (23) o Dia Nacional do Fusca será comemorado nas instalações da Volkswagen Anchieta, onde o modelo foi fabricado por mais de 30 anos. O encontro é promovido pelo Fusca Clube do Brasil, com sede em São Paulo, e planeja reunir cerca de 500 veículos, entre Fuscas e derivados de todas as épocas e modelos, incluindo veículos considerados “raridades” entre os colecionadores. O evento, que começa às 9 horas, também reservará espaço para venda de peças antigas e de reposição.

O evento é aberto ao público e busca reunir, principalmente, proprietários de carros Volkswagen refrigerados a ar. A organização do evento convida todos os participantes a doarem 2 quilos de alimentos não-perecíveis, que serão encaminhados aos desabrigados pelas enchentes na Região Serrana do Estado do Rio de Janeiro.