Problemas no motor tiram de Derani a chance de bom resultado

23 de janeiro de 2011

Foi realizada neste domingo (23) a final do F3 Brazil Open, evento que ocorreu no Autódromo de Interlagos, e que reuniu pilotos que disputarão alguns dos campeonatos de Fórmula 3 espalhados pelo mundo, como o britânico, italiano e sulamericano. O torneio, composto por quatro corridas, terminou com a vitória de Lucas Foresti, que correu pela Cesário Fórmula. Para Pipo Derani, o fim de semana representou uma ótima oportunidade de se manter em atividade até o início dos testes do Campeonato Inglês, que começam no final de fevereiro.

O piloto de 17 anos – o mais jovem brasileiro em atividade no automobilismo internacional – correu em Interlagos pela Hitech, mas não terminou a prova final deste domingo por causa do estouro do motor Berta de seu Dallara F308. “Eu percebi que ele começou a falhar já na volta de apresentação. Consegui fazer uma boa largada, e me mantive até onde deu, porque não dava para acompanhar o ritmo dos outros carros. O motor foi falhando cada vez mais e na Reta Oposta ele estourou”, descreveu Derani, que em 2011 disputará a F3 Britânica pela Double-R.

Pipo mantinha boas chances de lutar pelo título até a terceira corrida (no sábado), quando pulou da sexta para a quarta posição na largada e da quarta para a segunda na relargada após a saída do Safety Car. No entanto, o piloto foi atingido pelo carro de Yann Cunha em uma disputa por posição na Curva do Laranjinha e foi forçado a abandonar. Até então, nas duas provas anteriores, Derani havia sido o terceiro colocado em ambas.

“Foi uma pena, porque o resultado da terceira corrida definiria o grid da final. E largando da primeira fila, as chances eram boas. Paciência. São coisas que acontecem em corridas”, resignou-se. Hoje pela manhã, Pipo saiu da oitava posição para a quarta na primeira perna do S do Senna, mas por causa das falhas do motor, perdeu um posto e assim se manteve até a quebra do propulsor, a seis voltas do fim da corrida.

“Acontece. De qualquer forma, esta é uma espécie de torneio de verão, para os pilotos se manterem em atividade, e isso foi muito positivo. Aprendi bastante aqui, já que nunca tinha guiado um fórmula em Interlagos. Aprendi mais sobre o carro, e principalmente sobre os pneus, que são mais duros do que os que usamos na Inglaterra. Quanto mais tempo temos de pista, melhor. Então, vou continuar minha preparação para encarar os testes de pré-temporada na Europa e fazer uma boa temporada lá”, encerrou.

Foto: Luca Bassani/Divulgação.

Tags: