Transparaná chega a metade da competição

27 de janeiro de 2011

Das 64 duplas de todo o Brasil que largaram de Guaira na disputa da 17ª edição do considerado o maior Raid das Américas, quatro ficaram pelo meio do caminho e 60 completaram a metade da competição na tarde desta quarta-feira (26), na chegada a Apucarana debaixo de chuva. O terceiro dia de prova foi marcado pela disputa em trilhas que cortavam os canaviais da região e pela travessia de balsa, no trajeto de Campo Mourão à cidade do centro-oeste. Foram percorridos 248 quilômetros em quase nove horas de prova. Os vencedores das etapas 5 e 6 serão divulgados pelo Jeep Clube de Curitiba nesta noite, durante o briefing com os competidores, do percurso de amanhã. O Raid termina no próximo sábado (29), com a chegada na praia de Caiobá, em Matinhos, no litoral paranaense.

Os aproximadamente 816 quilômetros percorridos desde o início da competição até Apucarana já foram suficientes para que competidores afirmem que o Transparaná 2011 já é o melhor dos últimos anos e um dos melhores entre os 17 anos de história deste grande evento off-road. Neste ano, o Jeep Clube de Curitiba profissionalizou a prova, que está sendo organizada pela Kolling Racing.

Para a dupla catarinense da equipe Ensimec, que disputa o raid pela quinto ano, o Transparaná 2011 está superando todas as expectativas. “Não é menosprezar as provas anteriores, mas neste ano a prova está excelente, com altas médias de velocidade, metragens corretas e muito bem organizada”, opina o piloto de Blumenau, do Troller 7, Flávio Kath. “A prova está tão rápida que piscar já é suficiente para cometer falhas, mas quanto mais difícil melhor e quando chove a prova fica melhor ainda”, completa o navegador de Brusque, Rafain Walendowsky. A dupla disputa o raid pela categoria master e conquistou o 1° lugar nos dois primeiros dias de prova.

O piloto palotinense Marcelo Rorig, da Pajero 43, está estreando na competição, mas diz que a prova está excelente e que gostou muito do nível técnico do trajeto de Guaira a Terra Roxa e o de Polotina a Cascavel. “Com certeza a prova deste ano está superando facilmente as provas de anos anteriores, pelas trilhas, pela organização, pelas planilhas, tudo contribuindo para um nível forte de competitividade, sem falar no fato da chegada voltar ao litoral”, completou o companheiro da equipe Jeep Clube de Palotina, o navegador Roberto Spessatto, que está disputando o quarto Transparaná. Os polotinenses estão na categoria Graduados e conquistaram o 1° lugar da categoria no segundo dia de prova.

Pai e filho, que neste ano completam quatro anos em Transparaná, Marcos Osires e Marcos Vinícius Nunes, de Curitiba, afirmam que a prova deste ano está diferenciada. “Tem muito mais trilhas e menos estradões e o raid é isso, não estamos disputando um rali”, diz o pai e piloto do Jeep Willys 76. “A prova está mais organizada, técnica e competitiva, com mais dificuldades e muitos laços”, completa o filho e navegador Marcos Vinicius. Os curitibanos da categoria Jeep chegaram em 1° lugar nos dois primeiros dias de Raid.

Para os estreantes em Transparaná da categoria Junior, a prova está completa. “A prova está ótima, bem rápida e já enfrentamos diversas situações, pilotando em todo tipo de terreno”, relata o piloto do Troller 56, o cascavelense Sandy Roncaglio, que disputa a competição pela equipe Sapicuera, de Curitiba. “A prova está bem técnica, mas até agora gostei mais do percurso de hoje, de Campo Mourão a Apucarana, ainda mais que foi o primeiro dia que pegamos chuva, no canavial próximo a Apucarana”, completa o companheiro de equipe, o navegador apucaranense Jonathan Ardigo. A dupla conquistou os respectivos 2° e 1° lugares da categoria nos dois primeiros dias de competição.

Raid segue para Telêmaco Borba nesta quinta-feira.

Tags: