Helio Castroneves inicia testes na próxima semana

25 de fevereiro de 2011

O piloto brasileiro Helio Castroneves, do Team Penske de Fórmula Indy, voltará a acelerar o ser Dallara Honda na próxima terça-feira, 1º de março. O teste programado pela equipe será realizado no Barber Motorsports Park, circuito misto permanente que está localizado em Birmingham, no estado norte-americano do Alabama. Trata-se da primeira atividade de pista da equipe em 2011 e ocorrerá naquela que sediará o teste coletivo oficial, marcado pela Indy Racing League (IRL) para 14 e 15 de março, além da segunda etapa do IZOD IndyCar Series, no dia 10 de abril.

“Não vejo a hora de acelerar e começar a temporada”, disse Castroneves, que nos poucos momentos de folga que teve recentemente, em meio a compromissos diversos com a equipe, mídia e patrocinadores, procurou andar o máximo possível de kart. “Além de ajudar na preparação física e nos reflexos, andar de kart também me faz recordar o início de minha carreira”, explicou o piloto, que se dedicou ao kartismo brasileiro e internacional entre 1987 e 1991.

A pista é particularmente especial para o três vezes vencedor da Indy 500, pois no ano passado coube a ele vencer a primeira prova da IndyCar ali realizada. Entre outras instalações, o complexo hospeda um dos maiores museus do mundo para veículos automotores. Com 17 curvas e 3.800 metros de extensão, seu traçado se caracteriza por várias subidas e descidas em meio a uma vasta área fartamente arborizada.

Apesar de este ser o último ano que a categoria utilizará o atual conjunto mecânico (chassi Dallara e motor Honda) e pelo fato de o regulamento criado pela IRL estabelecer limites muito claros para o desenvolvimento dos carros, visando equilíbrio e minimização dos custos, Castroneves classifica como extremamente importantes todo tipo de teste.

“Alguns acham que não precisamos mais testar, pois estamos com esse carro desde 2003 e não há nada mais a fazer. Mas podem acreditar que não é isso o que acontece. Quando o equipamento é igual para todo mundo, como é o caso da Fórmula Indy, a diferença está no detalhe, naquilo que você consegue extrair de melhor nas poucas tarefas que são permitidas pelo regulamento. Então, sem dúvida, treinar é preciso, sempre”, explicou.