Nelsinho ganha 9 posições em Phoenix

26 de fevereiro de 2011

Após largar da 22ª posição, Nelsinho Piquet fez uma corrida de recuperação no circuito trioval de Phoenix e completou sua primeira prova na atual temporada da Nascar Truck Series em 13º lugar. Foi a primeira vez em sua carreira que o brasileiro correu uma prova da mais importante categoria do automobilismo americano em um oval curto (de uma milha ou menos). O piloto do Chevrolet Silverado número 8 da equipe Kevin Harvick Inc (KHI) foi o quarto estreante mais bem colocado entre os dez que disputaram as 150 milhas de Phoenix. Com o resultado, Nelsinho Piquet obteve 31 pontos.

Ele está em 16º na classificação geral, com um total de 48 pontos após duas corridas. Considerando apenas os rookies, o brasileiro está na quinta posição.  “Foi importante terminar a primeira corrida do ano. Hoje foi um dia de muito aprendizado para mim. A pista não era fácil e com certeza saio daqui mais experiente que eu cheguei. Deu para identificar pontos que podem ser melhorados nas próximas etapas, como as relargadas. Quando estava por fora nessa condição, eu perdi algumas posições que tive trabalho para recuperar depois, perdendo tempo atrás de quem estava mais lento”, declarou Nelsinho após a prova.

Chris Carrier, o chefe da equipe da picape número 8, lembrou que as relargadas são pontos críticos em pistas estreitas e curtas como a do deserto do Arizona. “Depois de algumas voltas em bandeira amarela, os pneus acabam acumulando sujeira e perdendo grip e os freios perdem temperatura. É difícil a adaptação nessas condições. Mas o Nelson foi melhorando a cada relargada. A evolução dele ao longo da prova foi nítida. É claro que gostaríamos de estar nos top-10, mas a picape dele terminou a corrida quase sem nenhuma marca de contato com os adversários, o que é bastante positivo. É um piloto talentoso, que tem um potencial enorme. Mas é preciso tempo para adaptação”, disse ele.

Até a 43ª volta, quando aconteceu a primeira bandeira amarela, Nelsinho ganhou três posições. Ele então realizou seu primeiro pitstop e saiu do box em 16º. Perdeu um posto na relargada e outros dois após as duas bandeiras amarelas seguintes. A partir da quarta bandeira amarela da corrida, o piloto conseguiu conservar a posição ou ainda ultrapassar seus concorrentes.

Na volta 119, o brasileiro foi beneficiado como “lucky dog”. Pelas regras da Nascar, o piloto mais bem colocado entre os que estão uma volta atrás têm direito de relargar na mesma volta do líder. Ele então foi escalando o pelotão até ocupar o 14º lugar no giro 133, quando escapou por pouco de um acidente envolvendo Ricky Carmichael bem à sua frente. A manobra provocou suspiros dos jornalistas que normalmente seguem a categoria na sala de imprensa.

“Escapei hoje de três acidentes e esse foi o mais perto de mim. Isso já havia acontecido nas outras corridas e achava que era sorte. Mas começo a notar que não é só isso. Acho que ajuda o fato de eu guiar com o pé esquerdo sobre o freio e ficar sempre muito atento ao que ouço pelo rádio”, disse Nelsinho. Após a relargada da volta 140, ele ultrapassou outro adversário e cruzou a linha de chegada 10s901 atrás do vencedor, Kyle Busch, piloto da Cup Series, que não soma pontos no campeonato da Truck.

O brasileiro volta à pista no dia 12 de abril, em Darlington, na Carolina do Sul, uma das mais tradicionais e traiçoieras pistas da Nascar e onde ele ainda não correu. “O resultado de hoje certamente dá confiança para Darlington. É uma pista muito rápida e estreita, o que pode dar algum problema. Será preciso aproveitar o treino livre para dar ao Nelson o máximo de tempo de pista possível. Ficar entre os top-10 lá será um enorme passo”, comentou Chris Carrier.
Foto: Getty Image/Divulgação.