A Europa começa a descobrir o talento de Giuliano Raucci

28 de fevereiro de 2011

Oitenta e cinco pilotos, representando trinta e sete países diferentes participaram daa etapa de abertura em La Conca (Itália), do fantástico WSK Master Séries, o certame de maior prestígio internacional, realizado nesta última semana.  Foi nesse ambiente altamente competitivo que aportou um ilustre desconhecido para o mundo do karting europeu, o kartista paulista Giuliano Raucci (Refrigerantes Dolly/ Energy Corse). Com doze anos de idade recém completados, Giuliano que compete no Brasil na categoria Junior Menor ainda não tem idade suficiente para ingressar na classe KF3. A classe definida pelos critérios europeus foi a 60 Mini. A equipe, o team de fábrica Energy Corse, uma das mais importantes do cenário internacional.

Uma semana, sem duvida alguma, de muito aprendizado, afinal Giuliano Raucci teria de aprender rapidamente o sistema de trabalho das equipes européias em grandes competições, utilizando um chassis desconhecido e diferente do que está habituado, com um motor de reações e desempenho diferente dos utilizados no Brasil e compostos de pneus que desconhecia as reações. Somando-se a isso, ainda teria de aprender os segredos do circuito de La Conca e adaptar-se ao frio clima europeu.

Na tomada de tempos classificatórios, que definiria a posição no grid nas quatro provas qualificatórias um elemento a mais de dificuldade: Chovia em Muro Leccese (Lecce), região em que estavam situados os 1.250 metros do Circuito La Conca. Giuliano teria de descobrir o desempenho dos pneus de chuva, o grip da pista e o melhor traçado com a pista molhada, durante as poucas voltas do treinamento de classificação. Mesmo assim, ficou com o 27º tempo, entre os 85 participantes.

Foi sétimo na primeira qualyfying heat, décimo segundo na segunda, quarto na terceira e terceiro na ultima qualificatória, já lutando direto pela vitória. De resultado, a sétima posição na tabela de classificação e a quarta colocação no grid da Pré-Final A.

Assim, na Pré-Final A, Giuliano Raucci largou na segunda fila do grid de 34 micromonopostos, preenchendo a quarta posição.  Uma de suas características que mais surpreendeu os europeus (e os adversários) foi sua capacidade de sempre largar bem, conquistando posições. Autorizada a partida, Giuliano pulou para a terceira posição, buscando pressionar o segundo colocado. A chuva tinha ido embora e com a pista seca o ritmo dos ponteiros era avassalador, mesmo para uma prova de apenas oito voltas e qualquer erro seria fatal para as pretensões de vitória.

Na curva de La Conca o piloto paulista forçou um pouco a mais, tentando assumir a segunda posição, mas acabou errando na freada e perdendo o ponto de tangência. Para não passar reto, Raucci abriu mais o traçado, sendo ultrapassado por dois concorrentes de uma vez. As chances de vitória haviam sumido com o pequeno erro, mas com o quinto posto na Pré-Final estava garantida a participação do piloto da Energy Corse na prova decisiva da rodada. Na bateria final Raucci alinhou em décimo, na quinta fila e ao lado do russo Ilya Kulemetyev. A pole position da final ficou com o também russo Alexander Vartanyan.

Sua expectativa era de fazer novamente uma boa largada, mas na aproximação da primeira curva um kart rodou à sua frente. Raucci conseguiu desviar, evitando a batida, mas perdeu posições, caindo para o décimo quarto posto. Preso atrás de um grupo de karts que andava em ritmo próximo ao dos ponteiros, não havia como ultrapassar. Na pista, a vitória ficou com o piloto russo Alexander Vartanyan, da Tony Kart, mas acabou recendo dez segundos de acréscimo ao tempo total de prova, por queima de largada. Com isso a vitória da etapa ficou com o britânico da Birel, Billy Monger.

A penalização também beneficiou Giuliano Raucci, já que com o acréscimo de tempo o russo ficou imediatamente atrás de Raucci, que subiu também mais uma posição, também em razão de outra penalização, esta ao italiano Lorenzo Travisanutto. O saldo final foi a décima segunda colocação final na prova e na etapa.

“Tentei fazer uma boa largada e colar nos ponteiros, para poder brigar pelas primeiras posições. Meu kart estava muito bom e acho que dava para fazer uma boa corrida, mas na largada um kart rodou na minha frente e fui obrigado a desviar. Com isso perdi várias posições e acabei preso em um pelotão que não me permitiu ir mais para frente. Gostei muito de tudo, mas acho que fiquei um pouco decepcionado com a posição final e por não ter podido brigar lá na frente”, detalhou Giuliano Raucci, com excessiva autocritica.

A próxima etapa do WSK Master Séries será no dia 27 março, em Castelletto di Branduzzo (PV), na Itália.

Foto: Press Net/Divulgação.