Conheça a Kombi futurista

1 de março de 2011

A Volkswagen está reinterpretando a forma compacta original de uma verdadeira lenda automotiva, e projetando-a para o futuro na forma do veículo-conceito Bulli, a nova geração da Kombi. Quando foi lançada, em 1950, o código interno do projeto na Volkswagen era T1 (de Transporter 1). Os alemães a chamaram de Bulli, os americanos, de Microbus. No Brasil, onde até hoje é fabricada, é a Kombi.

Com este veículo, a Volkswagen finaliza um processo iniciado em 2001: dez anos atrás, a visão do que poderia ser uma nova Kombi levou a um inesquecível carro-conceito, chamado de Microbus. Mas certas visões precisam amadurecer antes de levar a algo de novo. Este é o momento certo para mostrar esta nova visão. O conceito foi refinado e as tecnologias sustentáveis necessárias já estão à mão.

Tão espaçosa como em 1950, tão inspiradora como sempre, o conceito da nova Kombi tem um estilo com uma limpeza nunca vista anteriormente. Mais compacta e acessível do que o conceito anterior, a nova Kombi está sendo apresentada em Genebra. A nova Kombi é movida por um motor elétrico, equipada com seis assentos e tem sistema de infotainment controlado via iPad.

A nova edição do utilitário tem 3,99 metros de comprimento, 1,75 metro de largura e 1,70 m de altura. Com 2,62 metros de distância entre eixos, o novo Bulli aproveita muito bem seu comprimento total. A bitola de 1,50 metro, bastante grande em relação à largura da carroceria, também se destaca no modelo. Este conceito tem potencial para estabelecer uma quinta nova marca de veículo de transporte pessoal, junto ao Caddy, Touran, Sharan e seu companheiro maior, o Caravelle. A nova Kombi poderá até tornar-se um ícone, como a T1 Samba, que continua sendo comercializada hoje a preços extremamente altos – um desses raros veículos que não perdem o brilho com o passar do tempo.

Graças a tecnologias de propulsão altamente avançadas, a Kombi em exposição em Genebra é o que se chama de “veículo sem emissões”, movida apenas por eletricidade. Não há emissões nem cano de descarga. O motor elétrico do novo Bulli fornece 85 kW de potência e impressionantes 270 Nm de torque. Como ocorre com esse tipo de motor, sua força máxima é gerada desde a imobilidade. Silencioso, ele recebe energia de uma bateria de íon-lítio com capacidade máxima de armazenamento de 40 kWh.

Esta combinação eletrizante possibilita uma autonomia de até 300 quilômetros – número alto para um carro puramente elétrico. Quando a bateria da nova Kombi é recarregada, num “posto de abastecimento elétrico” especialmente projetado para veículos a eletricidade, o processo toma menos de uma hora.

O novo Bulli acelera de 0 a 100 km/h em 11,5 segundos e sua velocidade máxima, limitada eletronicamente, é 140 km/h. O alcance e performance não apenas tornam o veículo compacto ideal para pequenas distâncias, mas também para a maioria dos que usam o carro para ir ao trabalho e em atividades recreacionais e desejam rodar sem emitir gases pelo escapamento.

Naturalmente, a nova Kombi poderá usar, alternativamente, os motores a diesel ou gasolina altamente eficientes feitos pela Volkswagen. Motores com 1,0 ou 1,4 litro, econômicos e limpos, mas muito fortes – a receita do que se chama downsizing. Ideal para qualquer um que queira cobrir o máximo de distância com mínimo consumo de combustível.