Cristiano Federico e Caio Lara ganham mais uma em Curitiba

24 de julho de 2011

Não poderia ter sido melhor o final de semana da Equipe ATW/BVA/R3MZ. Numa pista em que a escuderia chegou com expectativa de conquistar pódios para tentar manter a liderança da GT4 na GT/Brasil, as duas vitórias não só mantiveram a Ferrari de Cristiano Federico e Caio Lara na frente como também levaram a dupla a ampliar a vantagem no campeonato, que teve sua metade completada e foi definido um dos dois descartes obrigatórios do ano. Eles chegaram a 158 pontos contra 141 de Valter Rossete e Fábio Greco. O Aston Martin de Marcelo Losasso e OsvaldoFederico (Equipe ATW/BVA/R3MZ) terminou na sétima posição na estreia do carro inglês.

“Nesta corrida ficou comprovado, mais uma vez, que além de sorte, é preciso
estar no lugar certo na hora certa e ter a competência e o trabalho necessários para se ganhar uma corrida. Foi isso o que aconteceu com a gente. Essas duas vitórias nos dão uma boa vantagem, mas o campeonato é muito longo e temos de trabalhar mais ainda para brigarmos pelo título”, disse Cristiano Federico.

Para Caio Lara, que faz sua primeira temporada completa com carros de Turismo, o resultado começou a ser definido com a entrada do primeiro Safety Car, quando ele estava pilotando a Ferrari F 430.

“Estava ali, atrás dos primeiros colocados, que mantinham uma certa distância. Com a entrada do carro de segurança me aproximei e daí em diante
tudo melhorou para a gente, que chegou à segunda vitória no final de semana. Repetimos o feito da prova no Anhembi, quando também vencemos as duas no final de semana. Precisamos trabalhar para manter essa diferença até o fim”, completou Lara.

A estreia do Aston Martin Vantage nas mãos da dupla Osvaldo Federico/Marcelo Losasso foi considerada muito boa. Eles terminaram na sétima posição depois do abandono na prova de sábado devido a uma batida lateral que desalinhou o carro inglês.

“Por ser uma primeira corrida inteira foi excelente, pois o Aston é muito bom, tem motor potente, mas estamos enfrentando dificuldades naturais de adaptação com muita coisa eletrônica, como controle de tração, de freios e outros detalhes que ainda precisamos aprender direito. O importante é que ficou constatado que o carro é bastante competitivo”, disse Losasso.

Para Osvaldo, que fez a segunda parte da corrida deste domingo nos 3.695 metros do veloz traçado curitibano, a dupla tem grandes expectativas com o carro inglês, o único na categoria. “Começamos a pegar a mão e isso vai melhorar ainda mais em Interlagos, onde será realizada a próxima etapa. Tenho certeza que, daqui para frente, vamos melhorar a cada corrida”, completou Osvaldo Federico.

Fotos: Fábio Oliveira – Divulgação.