Button, vitória para comemorar 200 GPs

31 de julho de 2011

Por Giovanni Romão –  Há três corridas que o líder do campeonato, Sebastian Vettel, não sabe o que é vencer. Depois de Fernando Alonso, na Inglaterra, e Lewis Hamilton, na Alemanha, agora foi a vez de Jenson Button levar. A vitória do inglês aconteceu no GP da Hungria, 11ª etapa da temporada 2011 da Fórmula 1, a última antes das férias de verão da categoria. Em uma corrida marcada por chuva e muitas disputa, o inglês fez valer seu sangue frio e condução limpa para garantir sua segunda vitória no ano.

Na segunda colocação ficoou Vettel, com Alonso fechando o pódio. O quarto colocado foi Hamilton, que liderou parte da corrida, seguido por Mark Webber e Felipe Massa. Em uma grande corrida, Paul di Resta levou a Force India a quarta colocação, com Sebastien Buemi na oitava colocação. Nico Rosberg e Jaime Alguersuaria fecharam os dez primeiros da prova.

A prova

Pouco previsto para cair no calor húngaro, a corrida começou com muita água na pista, e logo de cara uma disputa acirrada entre Vettel e Hamilton. O inglês da McLaren, perdeu a posição na largada para Button, mas rapidamente recuperou e partiu para cima de Vettel, ganhando a posição assim que o líder do campeonato deu uma leve escapa. Na ponta, Hamilton imprimiu um bom ritmo, abrindo mais de cinco segundos de vantagem.

Mais atrás, destaque para a briga entre Alonso e Rosberg pelo quarto lugar. O alemão da Mercedes fez uma grande largada e saltou de sétimo para o quarto posto. Na disputa, Alonso conseguiu recuperar a posição, em uma linda manobra por fora na reta dos boxes. Na primeira parte da prova, teve ainda um erro do Massa, que rodou e caiu de quinto para a nona colocação.

Assim que a pista foi secando, algumas equipes começaram a planejar o primeiro pit já para colocar pneus de pista seca. Até o início do primeiro pit, as dez primeiras colocações estavam assim: Hamilton, Vettel, Button, Rosberg, Alonso, Webber, Di Resta, Schumacher, Massa e Kobayashi.

Os pits começaram na volta 11, com Webber, Massa, Petrov e Barrichello, que apostaram nos pneus sliks. Na sequência, todos os pilotos entraram para os seus pits e a colocação de pneus de pista seca. Dos líderes, o último a parar foi Michael Schumacher, que entrou no pit na volta 14.

No retorno a pista, já seca, Button voltou muito mais veloz do que Vettel e partiu para cima do alemão para ganhar a segunda colocação. Webber, que foi o primeiro a parar, também se deu bem e pulou de sexto para quarto. Quem também levou vantagem antecipando seu pit foi Barrrichello, que pulou de 13º para 11º.

Na volta 26, assim que saia dos boxes, o carro de Nick Heidfeld pegou fogo e o piloto abandonou o bólido na grama próximo da saída do pit. A chance de safety-car na pista fez com que a maioria dos pilotos, como Alonso, Webber e Hamilton, antecipassem o segundo pit. No giro 28, em uma disputa com Massa, o Schumacher escapou, ficou de lado na pista e teve que abandonar.

Na sequência, Massa foi para cima da segundo Mercedes e, com facilidade, passou o Rosberg na volta 30, partindo para cima de Kobayashi, na briga pela sexta colocação, ganhando o posto no final da volta 34. Após 35 giros, exatamente metade da prova, as dez primeiras colocações estavam assim: Hamilton, Button, Vettel, Webber, Alonso, Massa, Kobayashi, Rosberg, Di Resta e Barrichello.

Partindo para a antecipação do terceiro pit, Alonso entrou na volta 38 nos boxes, e voltou andando de três a quatro segundos mais veloz do que os pilotos da frente. A estratégia deu certo, com o espanhol ganhando duas posições, para cima de Webber e Vettel. No retorno dos boxes, porém, o ritmo do espanhol já não era tão rápido e, rapidamente, Vettel recuperou a terceira colocação com facilidade.

Na chicane no meio do circuito, na volta 46, Hamilton pegou a linha branca e rodou, perdendo a liderança para seu companheiro Button. No mesmo momento, o Alonso fazia seu quarto pit stop, colocando pneus macios para tentar levar até o final. Na volta 50, com alguns pingos voltando a cair, Massa foi para cima de Rosberg e ganhou a sexta colocação.

Com a pista molhada e os pilotos ainda de pneus de pista seca, Button escapou e o Hamilton conseguiu recuperar a primeira posição. Na volta seguinte, o Button foi para cima de Hamilton e ganhou a primeira colocação na reta principal, mas tomou o troco duas corridas depois, em uma emocionante disputa entre pilotos da mesma equipe.

Na volta 52, Hamilton entrou para fazer seu quarto pit e apostou nos pneus intermediários. A aposta não foi muito interessante, já que o inglês voltou para a pista em terceiro e duas voltas depois perdia a posição para Alonso. Detalhes, o inglês teve que entrar novamente nos boxes para voltar aos pneus de pista seca. Hamilton ainda foi punido com um drive-through, por conta de ter rodado no eixo para voltar depois de escapar na chinane.

Depois de cumprir a punição, o inglês voltou atrás do Massa e, voltas depois, já ganhava a posição para a cima do brasileiro, que parou para seu quarto e último pit na volta 60. Restando dez voltas para o final, os dez primeiros eram: Button, Vettel, Alonso, Webber, Hamilton, Massa, Di Resta, Kobayashi, Buemi e Alguersuari.

No fim da volta 64, Hamilton foi para cima de Webber no miolo do circuito e ganhou a quarta colocação. Esse foi o último grande acontecimento da prova, que seguiu até o final sem grande mudanças, apenas com o Kobayashi despencando de posições nas últimas voltas, devido aos pneus desgastados.

Campeonato

Com Vettel ainda na liderança, mas com a McLaren ressurgida e representando uma clara ameaça, a Fórmula 1 volta apenas no fim do mês de agosto, após as férias de verão na Europa. O circo se reencontra no dia 26 de agosto, com os primeiros treinos livres para o GP da Bélgica, que acontece no dia 28.

Confira o resultado do GP da Hungria:

1) Jenson Button (ING/McLaren), 3 pit-stops
2) Sebastian Vettel (ALE/Red Bull), 3
3) Fernando Alonso (ESP/Ferrari), 4
4) Lewis Hamilton (ING/McLaren), 6
5) Mark Webber (AUS/Red Bull), 5
6) Felipe Massa (BRA/Ferrari), 4
7) Paul di Resta (ESC/Force India), 3
8) Sebastien Buemi (SUI/Toro Rosso), 3
9) Nico Rosberg (ALE/Mercedes GP), 4
10) Jaime Alguersuari (ESP/Toro Rosso), 3
11) Kamui Kobayashi (JAP/Sauber), 3
12) Vitaly Petrov (RUS/Renault), 4
13) Rubens Barrichello (BRA/Williams), 5
14) Adrian Sutil (ALE/Force India), 4
15) Sergio Perez (MEX/Sauber), 4
16) Pastor Maldonado (VEN/Williams), 5
17) Timo Glock (ALE/Virgin), 3
18) Daniel Ricciardo (AUS/HRT), 3
19) Jerome d’Ambrosio (BEL/Virgin), 4
20) Vitantonio Liuzzi (ITA/HRT), 5
OUT) Heikki Kovalainen (FIN/Lotus), 5
OUT) Michael Schumacher (ALE/Mercedes GP), 2
OUT) Nick Heidfeld (ALE/Renault), 2
OUT) Jarno Trulli (ITA/Lotus), 1

Fonte: F1Mania.net – Foto: McLaren Vodafone Mercede-F1.

Por Giovanni Romão

Há três corridas que o líder do campeonato, Sebastian Vettel, não sabe o que é vencer. Depois de Fernando Alonso, na Inglaterra, e Lewis Hamilton, na Alemanha, agora foi a vez de Jenson Button levar. A vitória do inglês aconteceu no GP da Hungria, 11ª etapa da temporada 2011 da Fórmula 1, a última antes das férias de verão da categoria. Em uma corrida marcada por chuva e muitas disputa, o inglês fez valer seu sangue frio e condução limpa para garantir sua segunda vitória no ano.

Na segunda colocação ficoou Vettel, com Alonso fechando o pódio. O quarto colocado foi Hamilton, que liderou parte da corrida, seguido por Mark Webber e Felipe Massa. Em uma grande corrida, Paul di Resta levou a Force India a quarta colocação, com Sebastien Buemi na oitava colocação. Nico Rosberg e Jaime Alguersuaria fecharam os dez primeiros da prova.

A prova

Pouco previsto para cair no calor húngaro, a corrida começou com muita água na pista, e logo de cara uma disputa acirrada entre Vettel e Hamilton. O inglês da McLaren, perdeu a posição na largada para Button, mas rapidamente recuperou e partiu para cima de Vettel, ganhando a posição assim que o líder do campeonato deu uma leve escapa. Na ponta, Hamilton imprimiu um bom ritmo, abrindo mais de cinco segundos de vantagem.

Mais atrás, destaque para a briga entre Alonso e Rosberg pelo quarto lugar. O alemão da Mercedes fez uma grande largada e saltou de sétimo para o quarto posto. Na disputa, Alonso conseguiu recuperar a posição, em uma linda manobra por fora na reta dos boxes. Na primeira parte da prova, teve ainda um erro do Massa, que rodou e caiu de quinto para a nona colocação.

Assim que a pista foi secando, algumas equipes começaram a planejar o primeiro pit já para colocar pneus de pista seca. Até o início do primeiro pit, as dez primeiras colocações estavam assim: Hamilton, Vettel, Button, Rosberg, Alonso, Webber, Di Resta, Schumacher, Massa e Kobayashi.

Os pits começaram na volta 11, com Webber, Massa, Petrov e Barrichello, que apostaram nos pneus sliks. Na sequência, todos os pilotos entraram para os seus pits e a colocação de pneus de pista seca. Dos líderes, o último a parar foi Michael Schumacher, que entrou no pit na volta 14.

No retorno a pista, já seca, Button voltou muito mais veloz do que Vettel e partiu para cima do alemão para ganhar a segunda colocação. Webber, que foi o primeiro a parar, também se deu bem e pulou de sexto para quarto. Quem também levou vantagem antecipando seu pit foi Barrrichello, que pulou de 13º para 11º.

Na volta 26, assim que saia dos boxes, o carro de Nick Heidfeld pegou fogo e o piloto abandonou o bólido na grama próximo da saída do pit. A chance de safety-car na pista fez com que a maioria dos pilotos, como Alonso, Webber e Hamilton, antecipassem o segundo pit. No giro 28, em uma disputa com Massa, o Schumacher escapou, ficou de lado na pista e teve que abandonar.

Na sequência, Massa foi para cima da segundo Mercedes e, com facilidade, passou o Rosberg na volta 30, partindo para cima de Kobayashi, na briga pela sexta colocação, ganhando o posto no final da volta 34. Após 35 giros, exatamente metade da prova, as dez primeiras colocações estavam assim: Hamilton, Button, Vettel, Webber, Alonso, Massa, Kobayashi, Rosberg, Di Resta e Barrichello.

Partindo para a antecipação do terceiro pit, Alonso entrou na volta 38 nos boxes, e voltou andando de três a quatro segundos mais veloz do que os pilotos da frente. A estratégia deu certo, com o espanhol ganhando duas posições, para cima de Webber e Vettel. No retorno dos boxes, porém, o ritmo do espanhol já não era tão rápido e, rapidamente, Vettel recuperou a terceira colocação com facilidade.

Na chicane no meio do circuito, na volta 46, Hamilton pegou a linha branca e rodou, perdendo a liderança para seu companheiro Button. No mesmo momento, o Alonso fazia seu quarto pit stop, colocando pneus macios para tentar levar até o final. Na volta 50, com alguns pingos voltando a cair, Massa foi para cima de Rosberg e ganhou a sexta colocação.

Com a pista molhada e os pilotos ainda de pneus de pista seca, Button escapou e o Hamilton conseguiu recuperar a primeira posição. Na volta seguinte, o Button foi para cima de Hamilton e ganhou a primeira colocação na reta principal, mas tomou o troco duas corridas depois, em uma emocionante disputa entre pilotos da mesma equipe.

Na volta 52, Hamilton entrou para fazer seu quarto pit e apostou nos pneus intermediários. A aposta não foi muito interessante, já que o inglês voltou para a pista em terceiro e duas voltas depois perdia a posição para Alonso. Detalhes, o inglês teve que entrar novamente nos boxes para voltar aos pneus de pista seca. Hamilton ainda foi punido com um drive-through, por conta de ter rodado no eixo para voltar depois de escapar na chinane.

Depois de cumprir a punição, o inglês voltou atrás do Massa e, voltas depois, já ganhava a posição para a cima do brasileiro, que parou para seu quarto e último pit na volta 60. Restando dez voltas para o final, os dez primeiros eram: Button, Vettel, Alonso, Webber, Hamilton, Massa, Di Resta, Kobayashi, Buemi e Alguersuari.

No fim da volta 64, Hamilton foi para cima de Webber no miolo do circuito e ganhou a quarta colocação. Esse foi o último grande acontecimento da prova, que seguiu até o final sem grande mudanças, apenas com o Kobayashi despencando de posições nas últimas voltas, devido aos pneus desgastados.

Campeonato

Com Vettel ainda na liderança, mas com a McLaren ressurgida e representando uma clara ameaça, a Fórmula 1 volta apenas no fim do mês de agosto, após as férias de verão na Europa. O circo se reencontra no dia 26 de agosto, com os primeiros treinos livres para o GP da Bélgica, que acontece no dia 28.

Confira o resultado do GP da Hungria:

1) Jenson Button (ING/McLaren), 3 pit-stops
2) Sebastian Vettel (ALE/Red Bull), 3
3) Fernando Alonso (ESP/Ferrari), 4
4) Lewis Hamilton (ING/McLaren), 6
5) Mark Webber (AUS/Red Bull), 5
6) Felipe Massa (BRA/Ferrari), 4
7) Paul di Resta (ESC/Force India), 3
8) Sebastien Buemi (SUI/Toro Rosso), 3
9) Nico Rosberg (ALE/Mercedes GP), 4
10) Jaime Alguersuari (ESP/Toro Rosso), 3
11) Kamui Kobayashi (JAP/Sauber), 3
12) Vitaly Petrov (RUS/Renault), 4
13) Rubens Barrichello (BRA/Williams), 5
14) Adrian Sutil (ALE/Force India), 4
15) Sergio Perez (MEX/Sauber), 4
16) Pastor Maldonado (VEN/Williams), 5
17) Timo Glock (ALE/Virgin), 3
18) Daniel Ricciardo (AUS/HRT), 3
19) Jerome d’Ambrosio (BEL/Virgin), 4
20) Vitantonio Liuzzi (ITA/HRT), 5
OUT) Heikki Kovalainen (FIN/Lotus), 5
OUT) Michael Schumacher (ALE/Mercedes GP), 2
OUT) Nick Heidfeld (ALE/Renault), 2
OUT) Jarno Trulli (ITA/Lotus), 1

» Redação F1Mania.net