Alceu Feldmann e Popó Bueno na luta pelo prêmio milionário

2 de agosto de 2011

Engana-se quem pensa que o segredo para ganhar a Corrida do Milhão é apenas acelerar. Na disputa pelo prêmio mais cobiçado da temporada da Stock Car, a estratégia de prova é tão importante quanto pisar fundo. A corrida marcada para este domingo em Interlagos é mais longa do ano: serão 70 minutos, fazendo com que as equipes tenham de estudar uma série de possibilidades para poder definir as paradas de boxes.

O consumo de combustível é a principal peça deste quebra-cabeça que uma equipe leva em consideração na hora de traçar sua estratégia. Os carros começam a prova com o tanque cheio – a capacidade é de cerca de 75 litros.

Cada volta na pista de Interlagos consome cerca de 3,5 litros de etanol. Em uma conta rápida, os motores V8 devem consumir entre 120 a 150 litros nos 70 minutos (cerca de 40 voltas) na Corrida do Milhão. As equipes têm a disposição dois galões de 30 litros no reabastecimento – um terceiro pode ser liberado nesta prova em especial.

“Olhando os números, dá para imaginar que é só parar uma vez para reabastecer que o carro vai até o final da prova. Mas não é assim tão simples. Existem muitas variáveis na definição da melhor estratégia. Precisamos avaliar o desempenho do carro, a posição que estaremos no grid, as eventuais intervenções do Safety Car, entre outras coisas”, conta Thiago Meneghel, engenheiro chefe da equipe Comprafacil.com.

O consumo dos pneus também é será uma questão central. Interlagos não está entre as pistas mais abrasivas do campeonato, como Campo Grande e Jacarepaguá, mas, com a prova mais longa, as equipes não descartam um desgaste excessivo dos compostos. “Por conta de tudo isso, não eliminamos as chances de haver duas paradas de boxes nesta corrida”, completa Meneghel.

Restando apenas duas provas para o final da fase classificatória para a Super Final, a estratégia de cada time também leva em consideração a posição dos pilotos na tabela. Segundo colocado na corrida do Rio de Janeiro, Popó Bueno ocupa a sexta posição com 59 pontos e já está praticamente garantido no grupo dos 10 competidores que disputam o título nas quatro últimas corridas do calendário.

“Claro que vou correr para vencer nesta corrida que vale um milhão de reais. Mas também estarei pensando no campeonato. Alcancei a pontuação que julgávamos necessária para estar na Super Final, agora meu foco é somar o maior número de pontos possíveis para subir na tabela e brigar pelo título. O resultado da corrida do Rio de Janeiro mostrou que isso é possível”, afirmou o Popó.

Já Alceu Feldman, também da equipe Comprafacil.com, precisa dar uma arrancada nesta reta final da fase classificatória. “Pela minha posição no campeonato, terei que arriscar uma estratégia mais ousada. Venho de duas corridas na zona de pontos, mas agora preciso buscar um resultado mais expressivo para subir na tabela de classificação. É o momento de arriscar um pouco mais”, afirma Alceu.

Para a Corrida do Milhão, os pilotos contarão com um treino extra de uma hora na quinta-feira. Divididos em dois grupos, os carros entrarão na pista a partir das 13h30. Na sexta, serão mais dois treinos livres. O primeiro das 11h40 às 13h10 e o segundo das 15h50 às 17h20.


No sábado, além da tomada classificatória marcada 11h20, acontece um último treino livre às 08h05. A prova que vale um milhão de reais está marcada para as 11h, com transmissão ao vivo e na íntegra pela TV Globo.

Foto: Fábio Oliveira/RF1 – Divulgação.