Equipes destacam importância de treino extra em Interlagos

4 de agosto de 2011

Para a corrida mais importante da temporada, a Corrida do Milhão que será disputada no próximo domingo, a Stock Car abriu um dia a mais de treinos para as equipes no Autódromo de Interlagos, em São Paulo. Cada time teve uma hora de pista aberta para cada carro, sem limite de voltas, nesta tarde.

A equipe BVA-Scuderia 111, que recebe o amazonense Antonio Pizzonia em seu retorno à Stock Car, aproveitou o treino extra para a readaptação do piloto – que não pilotava um carro da categoria desde o GP de Ribeirão Preto, disputado no mês de abril. Enquanto isso, Alan Hellmeister trabalhou na avaliação do seu carro e iniciou o trabalho de acerto.

“Em uma categoria que não permite treinos fora das etapas, cada oportunidade de entrar na pista tem que ser aproveitada. Hoje trabalhamos nas primeiras avaliações do carro, para definir qual caminho vamos seguir no acerto. Nosso principal objetivo era certificar que tudo está funcionando, um verdadeiro shakedown do carro”, comentou Hellmeister.

De volta à Stock Car, Antonio Pizzonia compõe o quinteto de pilotos em Interlagos que já passaram pela Fórmula 1. Além do amazonense, que conta com passagens por equipes como Williams e Jaguar, Luciano Burti, Tarso Marques, Ricardo Zonta e Jacques Villeneuve – que disputa a Corrida do Milhão como convidado – integram a lista de pilotos que já passaram pela categoria máxima do automobilismo.

“Procurei me adaptar ao carro, especialmente retomar o ritmo de pilotagem de um carro turismo”, comentou Pizzonia, que em 2011 tem disputado a Fórmula Superleague, de modelos monopostos. “Acho que foi um bom começo. Peguei a mão do carro rapidamente e já começamos, inclusive, a trabalhar no acerto”, completou.

Além da presença de Jacques Villeneuve, campeão mundial de Fórmula 1 em 1997, outro destaque do final de semana na Stock Car é a nova chicane, que visa diminuir a velocidade dos carros em um dos pontos mais críticos do circuito de Interlagos: a Curva do Café.

Os pilotos tiveram nesta quinta-feira o primeiro contato com ela e, no caso da dupla da Scuderia 111, a avaliação foi positiva. “Ficou boa. Acho que o principal objeitvo dela, que é diminuir a velocidade dos carros naquele ponto, foi atingido”, avaliou Pizzonia.

Mesmo com o trecho de aceleração plena reduzido na reta dos boxes de Interlagos, a freada para o ‘S’ do Senna ainda deve ser o principal ponto de ultrapassagem do circuito no domingo.

“A reta ficou mais curta por causa da chicane, mas com o push-to-pass, nós chegamos no final dela praticamente na mesma velocidade de antes. Talvez o segredo seja onde acionar o push-to-pass para aproveitá-lo da melhor maneira possível e ganhar posições”, destacou Alan Hellmeister, lembrando o sistema que aumenta em cerca de 50 cavalos a potência do carro durante um período de 15 segundos – e que pode ser acionado até cinco vezes ao longo da corrida.

A corrida da Stock Car que vai dar um milhão de reais ao seu vencedor será disputada no próximo domingo, em Interlagos, a partir das 11h.

Fotos: Luca Bassani – Divulgação.