Cotton e Eduardo sobem na classificação geral

16 de agosto de 2011

Mais uma etapa foi deixada para trás pelo piloto Marcus Cotton e pelo navegador Eduardo Costa, da ProMacchina/Cotton Motorsport, desta vez foi a 6ª etapa, a mais longa desta 19ª edição do Rally dos Sertões. Com um tempo de 06h08m36s, a dupla paulista concluiu com sucesso a etapa maratona – um dos maiores desafio do rali – com a 4ª colocação na categoria Pró Etanol e a 11ª geral, resultado que fez a dupla subir mais de 30 posições na classificação geral de carros.

“Tivemos uma recuperação fantástica, há dois dias largamos em 47º, amanhã já largamos em 11º na classificação geral dos carros, o que vale e a recuperação da equipe e estamos mantendo a 4ª posição na categoria Pró Etanol. E, na sexta etapa chegamos em 10º na geral dos carros”, comemorou o piloto Cotton.

Pedras, piçarra, descidas e subidas em serra e trechos de trial deixaram o início da especial bem travada para os competidores. Mas também houve trechos com pista boa, na qual os pilotos puderam, literalmente, pisar fundo. “Hoje a prova foi cansativa, muito longa. Piso muito duro, trecho de quebradeira, mas o carro veio bem, o piloto colocando um ritmo muito bom”, contou o navegador Eduardo.

A etapa desta segunda-feira (15) deu sequência a etapa maratona, na qual os veículos não puderem receber nenhum tipo de manutenção após a etapa de ontem (14). Mesmo sem ajustes, a Protom de Cotton e Eduardo respondeu bem a todos os desafios encarados na etapa maratona, apenas um problema no câmbio foi detectado nos quilômetros finais da cronometrada. “Fizemos a especial relativamente bem, tivemos um problema no carro, que nos fez perder alguns segundos para resolver, mesmo sem uma das marchas do câmbio seguimos em frente”, ressaltou Cotton.

E Eduardo completa: “O problema foi detectado a 30 quilômetros do fim da especial, mas deu para continuar num ritmo muito bom”.

Além de técnica e talento, hoje (15) também foi preciso preparo físico para encarar os desafios dos 428 quilômetros da especial e ainda por cima sem água. “Chegamos aqui cansados, mais bem. Mesmo sem água, porque furtaram nosso camelbak e andamos 6 horas no seco, chegamos bem, parece que estávamos no deserto, recuperação total”, finalizou Eduardo.

Nesta terça-feira (16) a dupla paulista parte para a 7ª etapa do rali rumo a Barra da Corda (MA). Serão 318 quilômetros no total, sendo 10 km de inicial, 253 km de especial e 55 km de final.

Foto: Marcelo Maragni/Foto Arena – Divulgação.