Hugo e Kaique enfrentam problemas

16 de agosto de 2011

Foi às 9h,3omin, desta terça-feira, que Hugo Rodrigues e Kaique Bentivoglio finalmente chegaram ao parque de apoio na cidade de Balsas, MA (praticamente vazio, pois quase todas as equipes já haviam saído para o próximo destino, Barra do Corda, MA). Somente após 23h,50min desde que largaram ontem, na sexta etapa, é que enfim, juntaram-se novamente à caravana do 19º Rally dos Sertões.

Assim que largaram para a prova de ontem, com 10 quilômetros, a alavanca do câmbio quebrou, e mais para frente, o Sherpa MEM apresentou problemas elétricos. “Ora o acelerador respondia, ora não. Fomos puxados quatro vezes por alguns competidores, mas no final do trecho cronometrado paramos de vez. Nisso já era 15h,30min”, contou o piloto. A dupla da HR Racing ficou sem contato desde então, e contaram com a colaboração dos adversários para avisar a organização e a equipe de apoio.

A noite caiu e, às 21h,3omin, os limpa trilha passaram pelo local, eles abasteceram Hugo e Kaique com água e biscoitos e os tranquilizaram de que o resgate estava a caminho.

“Era uma trilha fechada e só havia árvores e areia. Estávamos tão cansados que o Hugo dormiu no teto e eu no capô do carro. As horas foram passando e começou a bater o desespero, precisávamos controlar o psicológico”, descreveu Kaique.

Às 2h da manhã, eles decidiram buscar algum lugar de onde pudessem fazer um novo contato. “Andamos até chegar em uma comunidade. A Lua estava bonita e eu com o câmbio na mão”, descontraiu o piloto. “Encontramos umas casas, pedimos ajuda, os cachorros latiram bastante, mas ninguém apareceu. Provavelmente, não havia ninguém por lá, pois geralmente este povo é bastante solicito”, completou.

Somente às 3h da manhã que o apoio da MEM alcançou a dupla, fez os devidos reparos no equipamento e seguiram para o apoio. Recebidos por algumas pessoas que ainda permaneciam no local, Hugo e Kaique narravam os momentos que viveram. “Foi uma ‘bela’ aventura, parecida com o filme ‘Naufrago’, só que em tempo menor. Obviamente, nós ficamos alucinados e qualquer barulho, da fauna e flora da região, pensávamos que era algum veículo chegando para nos buscar. Foi um dia tenso”, afirmou o navegador.”Mas o pior, é que o guincho da prova, responsável para recolher quem estivesse quebrado, não passou”.

Em virtude desta ocorrência, a HR Racing não participou da sétima etapa, que teve 318 quilômetros, com 253 quilômetros de trecho cronometrado, rumo a Borda do Corda. “Enquanto os participantes estão largando, nós acabamos de chegar. Mas amanhã, com o carro revisado, estaremos de volta. Vamos completar este Rally dos Sertões”, encerrou o piloto.

Foto: D Fotos – Divulgação.