Luís Fittipaldi, Rafael Cristiam e Reni Toscano animados para disputa da etapa do Moto 1000

16 de agosto de 2011

Uma das atrações da segunda etapa do Moto 1000 GP, que acontece neste fim de semana em Brasília, no Autódromo Internacional Nelson Piquet, serão os pilotos locais. Correndo em casa, se mostram ansiosos para encontrar os colegas de outros estados para a troca de experiências. Muitos sonham em conseguir um bom desempenho para viabilizar no futuro a participação em eventos nacionais, especialmente o Moto 1000 GP. Entre os pilotos de Brasília confirmados para a etapa estão Luís Antônio Fittipaldi, Reni Antônio Perez Toscano e Rafael Cristiam Araújo Ribeiro.

Luís Fittipaldi, 31 anos, vai correr pela GP Light, com uma Suzuki GSX-R 1000 e se mostra empolgado com a experiência. “Eu estou muito entusiasmado pela oportunidade de participar de um evento desse nível, com essa estrutura e organização. É nível profissional mesmo e digno de um evento nacional”, comenta o piloto, que fez o curso de pilotagem na Alex Barros Riding School, em São Paulo, no mês passado, quando recebeu o convite de Barros para participar da etapa de Brasília. Alexandre Barros é idealizador e um dos organizadores do Moto 1000 GP, ao lado do heptacampeão brasileiro Gilson Scudeler. “Para quem busca mais experiência, um aprendizado profissional, esse é o lugar certo”, diz Fittipaldi sobre o Moto 1000 GP. O piloto disputa pelo segundo ano o Campeonato Brasiliense, tendo conseguido o vice-campeonato da categoria Light no ano passado. “Eu espero aprender muito nessa etapa ao competir ao lado de pilotos de outros estados e pelo contato com profissionais como Alex Barros e Gilson Scudeler”, vislumbra.

Ainda que seja bem mais experiente nas pistas, outro piloto ansioso pela etapa é o brasiliense Rafael Cristiam Araújo Ribeiro, 28 anos, que disputa o Michelin Power Cup, na Inglaterra. “Estou muito animado em poder correr essa etapa do Moto 1000 GP. Além de ser um evento organizado por profissionais da área, como Alex Barros e Gilson Scudeler, que trabalham para o crescimento do esporte no país, reúne muitos pilotos de categoria”, destaca. Rafael Cristiam afirma que a empolgação já envolve também os amigos e os apaixonados por motovelocidade de Brasília.

Rafael está no Brasil para renovar seu visto de trabalho na Inglaterra, onde compete e mora atualmente, e conta que teria permanecido neste ano no país se soubesse da realização do Moto 1000 GP. “Acredito muito nessa competição. Vai crescer muito e dar um novo rumo para o esporte nacional. Será importante para capacitar pilotos, novas equipes e incentivar novos patrocínios no país”, acredita.