André Negrão aposta no equilíbrio em Paul Ricard

14 de setembro de 2011

A temporada 2011 da Fórmula Renault 3.5 entra na reta final. Neste fim de semana a categoria desembarca no circuito de Paul Ricard, próximo de Marseille, no sul da França, para a oitava e penúltima rodada do ano. O palco é um dos mais tradicionais circuitos da Europa. Hoje, também, um dos mais modernos do continente e bastante conhecido dos pilotos por receber sessões de testes de diversas categorias. Um cenário que, para o brasileiro André Negrão, promete uma das etapas mais equilibradas do ano.

“Paul Ricard é um complexo fantástico. Um verdadeiro parque de diversões para os pilotos. Como a pista tem várias opções de traçado, é a escolha de várias categorias da Europa quando querem fazer testes. Por isso a maioria dos pilotos da Fórmula Renault 3.5 já passou, em algum momento da carreira, por essa pista”, avalia o brasileiro.

Quase um mês depois da última etapa realizada pela F-Renault 3.5 e sem poder treinar com o carro da categoria por conta do regulamento, André Negrão intensificou sua preparação para a etapa de Paul Ricard com o uso de simuladores.

“Como a categoria não permite testes, os simuladores são a melhor opção para se manter concentrado no campeonato. A grande ajuda dessa tecnologia, no meu caso, é que ela me permite chegar à pista já sabendo alguns detalhes sobre aproximação e contorno de curvas, por exemplo. Isso ajuda na adaptação com o carro de verdade, no primeiro treino do final de semana”, comenta André Negrão.

Mas se por um lado alguns pilotos já conhecem a pista por outras categorias, por outro lado, todos chegam na mesma situação com o carro da F-Renault 3.5: Paul Ricard é uma pista inédita para a categoria. A última vez que o circuito recebeu um evento da Renault foi há 13 anos, na final dos campeonatos da montadora em 1998. A F-Renault 3.5, nascida em 2002 com o nome de Fórmula Super Nissan, vai correr pela primeira vez nesse traçado.

O complexo de Paul Ricard também mudou em relação àquela última passagem do Renault Speed Show pela França. Construído em 1969 e financiado pelo magnata das bebidas Paul Ricard, o circuito revelou durante as duas décadas seguintes praticamente todos os grandes nomes franceses do automobilismo, além de receber o GP local de Fórmula 1 na década de 80.

Em 1999, após a morte de Paul Ricard, o complexo do circuito foi vendido para a Excelis, empresa cujo proprietário é Bernie Ecclestone, principal dirigente da Fórmula 1. Sob a nova gestão, o autódromo passou por uma ampla reforma e se transformou em uma das principais pistas de testes da Europa – tanto que passou a se chamar oficialmente Paul Ricard Hight Tech Test Track.

Foto: Valéria Zopello/Divulgação.