Pane atrapalha Jimenez em Santa Cruz do Sul

18 de setembro de 2011

Sérgio Jimenez participou neste domingo (18) da etapa de Santa Cruz do Sul (RS), a nona da temporada, pela equipe Scuderia 111. A chuva atingiu a cidade gaúcha antes do início da corrida, o que causou dúvidas entre os concorrentes sobre qual tipo de pneu usar. Com pneus secos, Jimenez saiu da 21ª posição. Poucas voltas após a largada, houve a entrada do safety car. Assim que o carro de segurança saiu da pista, Jimenez entrou para os boxes, arriscando na estratégia. O objetivo era, depois de retornar, ficar mais tempo na pista e recuperar posições. O piloto chegou a ficar entre os dez primeiros durante a prova. Mas, na 29ª das 32 voltas totais, a gasolina do carro número 73 acabou, inviabilizando o término da corrida.

“Choveu antes de começar a prova, então, ficamos na dúvida sobre qual pneu usar. Saímos de pneus para pista seca, porque já havia formado um trilho, apesar do resto da pista estar úmido. Eu larguei lá atrás, e logo depois da largada, o safety car entrou. Depois disso, entrei para os boxes para tentar uma estratégia mais arriscada”, explicou Sérgio.

“Consegui conquistar posições e cheguei a estar entre os dez melhores, mas, no fim da prova, a gasolina acabou. Isso também aconteceu com vários outros pilotos, inclusive com o Alceu Feldmann (que venceu a corrida), já que ele não conseguiu nem completar a volta após a bandeirada final. Não foi uma corrida excelente, mas também não foi de todo ruim, era o que dava para fazer”, acrescentou o piloto de Piedade (SP), que terminou em 22º lugar.

Essa foi apenas a terceira participação do piloto na categoria neste ano, que também correu em Campo Grande e no Rio de Janeiro, pela Crystal Racing Team. Jimenez inclusive foi um dos responsáveis pela ascensão da Scuderia 111 para a categoria principal da Stock Car. Ano passado ele era um dos pilotos da equipe na Copa Montana.

“Apesar de já ter corrido nessa equipe, tudo está diferente: a categoria, o carro, os pneus… Claro que poderíamos ter ido melhor, mas faltou tempo para me adaptar mais a tudo isso. Fiquei a apenas dois décimos e meio do meio companheiro (Ricardo Sperafico), que foi pole na última etapa da Bahia. Além disso, a categoria realmente está muito competitiva. Pesando tudo, acho que foi um fim de semana produtivo, apesar do resultado não ser aquele pelo qual lutamos durante estes dias”, analisou Jimenez.

Foto: Divulgação.