Nelsinho Piquet é sexto em Martinsville e oitavo na Nascar Truck Series

31 de março de 2012

Nelsinho Piquet ganhou nada menos que 18 posições em Martinsville, palco da segunda corrida da temporada da Nascar Truck Series. O piloto brasileiro cruzou a linha de chegada com o Chevrolet Silverado #30 em sexto lugar. Ele agora ocupa a oitava posição no campeonato, 21 pontos atrás do líder.

“Ontem fizemos um bom treino, mas hoje a classificação não foi das melhores e largamos no meio do pelotão, em 16º. Durante a prova eu soube lidar com a situação de brigar por posições tanto no fundo do grid como pelo top-5. Foi um final de semana de altos e baixos. Mais importante que o resultado em si foi o quanto aprendi aqui”, disse Piquet Jr.

Mais rápido do dia na sexta, ele foi o último a fazer as voltas de classificação no sábado. Acabou apenas com o 16º tempo, com dificuldade em adaptação aos discos e pastilhas de freios que foram trocados nesta manhã. “Essa substituição tirou um pouco da confiabilidade do truck e não fomos 100% na tomada”, reconheceu o piloto.

Na largada, pelo lado externo da pista, Nelsinho não conseguiu uma brecha na parte mais rápida do traçado e perdeu mais posições. Quando houve a primeira bandeira amarela da tarde, ele estava em 24º lugar.

A relargada da volta 27 marcou o início de sua recuperação. “Sabia que eu tinha um equipamento rápido e soube me posicionar na pista para ganhar uma posição por vez. Ajudou muito ter feito tantos treinos em pistas curtas e a corrida da K&N que eu ganhei em Bristol”, lembrou, em alusão aos testes que fez ao longo do mês para evoluir em traçados com as características de Martinsville, que tem apenas 0,526 milha de extensão quase sem inclinação nas curvas.

Nesse ritmo, Piquet Jr era o 14º na segunda interrupção da tarde, na volta 75. Ele entrou nos pits e conseguiu uma relargada mais eficiente partindo novamente da linha externa. Entre os giros 91 e 111, intervalo em que conseguiu competir sem tráfego, o Silverado #30 era mais rápido inclusive que os líderes da prova. A cem voltas do final, Nelsinho entrou no top-10 para não mais sair.

A equipe Turner trabalhou bem na segunda parada nos boxes, também realizada sob bandeira amarela na volta 159. Nelsinho ganhou uma posição nos pits e relargou pela linha interna na sequência.

Agressivo, o brasileiro travou uma dura disputa com o truck #33, de Cale Gale, durante mais de vinte voltas seguidas. “Estava seguindo o 33 de perto e os freios começaram a aquecer demais. Então era preciso aliviar um pouco, mas mesmo assim estava perdendo o freio, ficava mais e mais difícil controlar a caminhonete. Achei que tinha o risco de não terminar a prova ou ter que realmente tirar o pé para chegar ao final… e daí felizmente teve uma bandeira amarela”, conta o piloto.

A interrupção na volta 225 permitiu uma melhora da picape. E outra no giro 235 deu o alívio que faltava para permitir um ataque nas voltas finais.

Na última relargada, Nelsinho partiu em sétimo e pressionou até o fim. Foi premiado com uma ultrapassagem na última volta, para selar o 14º top-10 em 32 corridas de sua carreira na Nascar Truck Series. “Foi minha melhor corrida da carreira em pista curta com as picapes. Ainda não tenho a agressividade de um Hornaday largando por fora, mas sinto que minha adaptação aqui melhorou muito, com um ritmo de corrida bem forte e constante”, aponta o brasileiro, citando seu ex-companheiro Ron Hornaday, que é tetracampeão da categoria e está um ponto atrás no campeonato.

A próxima etapa da Truck Series está marcada para 15 de abril, em Rockingham. Mas Nelsinho é otimista ao projetar o campeonato a partir da quarta etapa, no Kansas.

“Nosso planejamento do início do ano previa chegar às pistas de 1,5 milha entre os 10 do campeonato e pelas minhas contas a gente ia sair daqui entre 11º e 15º. Ótimo que estamos em oitavo e vamos brigar para manter esse cenário depois da próxima corrida. Quando vier a parte da temporada das pistas mais rápidas, só não vamos andar sempre entre os cinco se o carro piorar. E não tem muita chance de piorar, porque o time já era rápido no ano passado e agora só evoluiu com a inclusão do meu crew chief e do crew chief do Miguel Paludo.”

A corrida de Martinsville foi vencida pelo pole position, Kevin Harvick, piloto regular da Nascar Sprint Cup Series. Ele dominou a prova, liderando 248 das 250 voltas -um novo recorde na categoria.

Classificação do campeonato após duas etapas

1) #7-John King, 82
2) #17-Timothy Peters, 81
3) #6-Justin Lofton, 81
4) #3-Ty Dillon, 78
5) #23-Jason White, 74
6) #31-James Buescher, 69
7) #29-Parker Kligerman, 66
8) #30-Nelson Piquet Jr., 61
9) #9-Ron Hornaday Jr., 58
10)#11-Todd Bodine, 57

Tags: