Fim de Semana das Arábias

25 de abril de 2012

Acompanhe no Carros e Corridas a nova coluna do jornalista Eduardo Abbas.

Mais uma corrida chata, mais uma festa que tinha tudo para ser manchada pelos clamores da primavera árabe, mais um show adiado das McLaren e finalmente mais uma decepção da Ferrari. No domingo de muito esporte à motor no Brasil e no mundo, os olhos estavam realmente voltados para o oriente médio. A areia que invadia a pista no Bahein trazia com ela o temor de quem estava por aquelas bandas correndo ou fazendo a cobertura do evento.

Algumas perguntas ficam no ar: é mesmo preciso arriscar pessoas por dinheiro? O homem tem mesmo que se sujeitar a ficar a mercê de ditadores e fanáticos apenas pelo prazer de acumular fortunas? Teria a Fórmula 1 a necessidade tão grande de, quem sabe, botar tudo a perder por um capricho de seus organizadores e os petrodólares de seus promotores?

Acho que o esporte deve ser apenas competição dentro das suas linhas ou pistas, nunca tentar ser o senhor da razão em momentos turbulentos de nossa história contemporânea. A prova disso é que nada adiantou correr em uma pista que mostrou uma corrida fadada ao sono de seus telespectadores, e me arrisco a dizer, no mundo todo. Ganhou o Vettel com uma Red Bull que não é nem sombra do carro que encantou os aficcionados nos últimos dois anos. As Lotus chegaram em segundo e terceiro, completaram o pódio que esse ano já viu quatro vencedores diferentes em quatro etapas, levou o bicampeão Vettel para a ponta da tabela e só.

Os pilotos ganharam depois da corrida uma folga de três semanas para voltarem em Barcelona. Aí sim o campeonato começa, essa pré-temporada remunerada serviu apenas pra cornetarem a cabeça do Felipe Massa, fora isso, todo mundo já sabe, chegou na Europa a coisa muda e o bicho pega.

Triste a Fórmula 1 hoje em dia ser isso, triste saber que o show é apenas e tão somente uma forma desnecessária para uns e outros acumularem fortunas e arriscarem, desnecessariamente, a vida dos outros. Mas vamos em frente, quem pariu Matheus que o crie!

Nesse fim de semana vai acontecer a etapa brasileira da Fórmula Indy pelas ruas da zona norte de São Paulo. Pra quem estava com saudade do Barrichello pilotando um carro de corrida, vai poder matar a curiosidade de vê-lo andando entre outras feras, quem sabe lutando por uma vitória ou um pódio dentro de casa. A Band, emissora oficial e promotora da corrida esta rindo à toa, mais de 80% dos ingressos foram vendidos e, se não chover, a corrida promete.

Tem que prestigiar e tem que apoiar apesar de achar que o evento é maior que o lugar que escolheram pra correr, mas fazer o que? A força da grana obriga profissionais e homens a encarar desafios por mais amargos que sejam. Isso as duas categorias tem em comum, uma correu no meio de uma quase guerra civil e a outra vai correr na marginal, onde a guerra de carros e caminhões é diária.

Volta a pergunta: vale a pena?

É esperar pra conferir.

Na semana que vem vou contar a história do Senna que prometi na semana passada, não por nada, mas nessa semana eu queria desabafar e deixar quem lê minha coluna pensar um pouco.

A gente se encontra na semana que vem!

Beijos & queijos

Escreva para o colunista: coluna.site@gmail.com
Acompanhe Eduardo Abbas no Twitter: http://www.twitter.com/borrachatv

Foto: Red Bull Racing/Divulgação.

Tags: