Barrichello chega entre os 10 primeiros

29 de abril de 2012

Em sua quarta corrida na Fórmula Indy, Barrichello já pôde sentir bem de perto o carinho de sua fiel torcida. Foram 19 Grandes Prêmios do Brasil de Fórmula 1 em Interlagos, então já seria de se esperar algo com o qual o piloto de 39 anos já estivesse acostumado. Mas desta vez foi diferente. Com quase 55 mil pessoas enchendo as arquibancadas do Circuito Anhembi durante o final de semana, Barrichello confessou ter sentido fortes emoções com o carinho da torcida.

“De todos os anos em que estive correndo no Brasil, este com certeza foi o mais emocionante. Quando falei que mudaria de endereço, vindo de Interlagos para cá, todos vieram comigo”, destacou. “Quando estávamos fazendo a volta de exibição para o público nas picapes, foi uma das maiores emoções da minha vida. Em Interlagos sempre ouvi o incentivo da torcida, mas era só de um lado. E aqui, por causa do Sambódromo, o carinho vinha dos dois lados da pista. Olhei para o (EJ) Viso, que estava comigo, e vi que ele estava chorando”, recordou. “Durante a corrida, quando estávamos ali entre os seis primeiros e eu entrava na reta do Sambódromo, eu via o povo levantando nas arquibancadas”, lembra.

Barrichello descreveu sua primeira São Paulo Indy 300 como “uma tarde cheia de aventuras”. Sentindo algo errado no carro, que o piloto julgou tratar-se de algum problema eletrônico ou de câmbio (a equipe investiga a origem), que lhe tirava um pouco de velocidade nas retas. Mesmo assim, Rubens chegou a ocupar a terceira colocação. A estratégia da KV Racing Technology, aliada à quantidade de bandeiras amarelas, no entanto, não surtiu o resultado esperado.

“Corrida de Indy é assim mesmo. Você não pode ficar contente quando está lá na frente. Ainda consegui terminar entre os dez primeiros, porque não me envolvi naquela batida que teve oito carros na relargada. Acho que o (Will) Power ganharia a corrida de qualquer jeito, mas eu estava mais rápido do que muita gente que estava no pelotão da frente. De qualquer forma, a estratégia é um jogo muito maior na Indy do que em qualquer outra categoria”, explicou.

Agora Barrichello inicia sua preparação para encarar, pela primeira vez na carreira, as corridas em circuitos ovais. Está agendado um treino, já na próxima semana, no Texas, para que Rubens e outros estreantes façam as sessões de “aclimatação” em circuito oval, para daí partir para os preparativos para as 500 Milhas de Indianápolis, que acontecem daqui a exatamente um mês. “Agora começo uma fase em que ainda não sei o que esperar. Estou positivo e confiante. Vou gostar, porque sempre gostei de curvas de alta velocidade, e estou até ansioso por isso”, encerrou.

Foto: Carsten Horst/MPTeam/Divulgção.

Tags: