José Maria Reis busca marcar seus primeiros pontos na temporada

30 de maio de 2012

A abertura da programação de treinos da quarta etapa do Campeonato Brasileiro de Fórmula Truck, nesta sexta (01), fará Goiânia voltar ao centro das atenções do automobilismo nacional. A corrida, que colocará em disputa o Grande Prêmio Petrobras, será disputada no domingo (03), sob a expectativa da organização do evento de que mais de 40.000 torcedores de cidades de Goiás compareçam ao Autódromo Internacional Ayrton Senna.

“Embora eu seja suspeito para falar, o público goiano é o que mais se identifica com a Fórmula Truck”, opina José Maria Reis, um dos representantes do estado na categoria. Ele divide com seu sobrinho Leandro Reis as atenções da equipe Original Reis Competições, que tem sede em Goiânia. “Garanto que a corrida de domingo vai entrar para a história da Truck como um dos eventos de maior público. Goiânia vai para o autódromo em peso”, anima-se.

Os pilotos da cidade têm exercido um empenho especial na divulgação do evento. No último sábado (26), os dois subiram ao palco da 67ª Exposição Agropecuária de Goiás, momentos antes da apresentação do cantor Michel Teló. “A gente falou para mais de 35 mil pessoas, chamou todo mundo para ir ao autódromo. Depois do show, falei para o Michel que, se eu ganhar a corrida em casa, vou dançar o ‘Ai, se eu te pego’ no pódio”, revelou.

O caminhão de corridas da Original Reis Competições esteve exposto no evento, que ocorre no Parque Agropecuário Dr. Pedro Ludovico. Na noite de sexta-feira (1º), José Maria e Leandro vão voltar ao local para um novo convite ao público da exposição-feira durante o show da dupla João Neto & Frederico. “A gente tem ido à ‘Pecuária 2012’, participado, e a interação com a torcida goiana tem sido bem positiva, existe uma boa identificação”, conta.

José Maria ainda não marcou pontos em 2012. “Foram três corridas e três quebras. Como faltam recursos, a gente tem treinado pouco, está faltando desenvolver o caminhão, treinar mais. Nem digo que nosso problema seja falta de sorte, é falta de equipamento, mesmo”, pondera. “A saída é trabalhar com o que a gente tem, procurar desenvolver a confiabilidade do caminhão”, afirma o piloto, inscrito na Fórmula Truck com o Scania número 12.

O esforço por um desempenho convincente diante da torcida goiana é visto por José Maria, também, como causa possível da aguardada captação de investimentos em sua equipe. “Temos um programa direcionado a empresários daqui, o Acelera Goiás. As empresas só vão investir na proposta se virem que haverá retorno, e Goiânia é o melhor lugar para mostrar serviço. Nessa etapa a gente vai tentar o que tem e o que não tem”, ele promete.

O piloto vê vantagens práticas na atuação da equipe nesta etapa. “A gente conhece muito bem Goiânia, a pista, o clima, tudo. Sei que muitos pilotos vão enfrentar problemas com os caminhões por causa da temperatura. Então a saída é tentar uma configuração que nos permite estar entre os dez primeiros no grid. Depois disso, é ajustar o caminhão para aguentar a corrida toda. Se a gente largar entre os dez e conseguir chegar, é pódio na certa”, aposta.

Foto: Orlei Silva/Divulgação.

Tags: