Campeonato Mundial de Carros de Turismo tem etapa no Brasil

18 de julho de 2012

O francês Yvan Muller e o italiano Gabriele Tarquini estão rigorosamente empatados no ranking de vitórias da etapa brasileira do FIA WTCC – Campeonato Mundial de Carros de Turismo. Desde que a categoria aportou no País primeira vez em 2006, inaugurando uma relação com a capital paranaense que chega agora ao sétimo ano, cada um ganhou três corridas. Curiosamente, todas no período de 2008 a 2010 e sempre na mesma ordem: Muller levando a melhor na primeira prova da rodada dupla e Tarquini fechando o programa no alto do pódio. O tira-teima poderá acontecer neste fim de semana no Autódromo Internacional de Curitiba – Pinhais, palco da 15ª e 16ª etapas.

O FIA WTCC estreou no Brasil no meio do calendário de sua segunda temporada de existência. A corrida inaugural foi vencida pelo espanhol Jordi Gené, então um dos integrantes da brigada oficial da SEAT. Seguiram-se três êxitos consecutivos da BMW, coincidindo com a fase áurea da marca alemã na série. A partir de então, por três anos em sequência, Muller e Tarquini monopolizaram as vitórias, até terem o domínio interrompido em 2011 pelo inglês Rob Huff e pelo suíço Alain Menu, ambos da Chevrolet.

O retrospecto do atual campeonato coloca Muller na condição de favorito para desempatar a disputa. O modelo Cruze do time da fábrica norte-americana vem levando grande vantagem sobre o SEAT León, o BMW 320 e o Ford Focus. Ganhou 11 das 14 etapas e o francês, atual bicampeão e líder, sozinho somou seis vitórias, alcançando a marca de 27 desde que se transferiu para o FIA WTCC em 2006. Tarquini, veterano da temporada inaugural em 2005, soma 17 e apenas uma delas com o SEAT León no atual campeonato, no qual ocupa a 5ª colocação com 134 pontos, atrás do holandês Tom Coronel (BMW), com 140, Menu (210), Huff (227) e Muller (245).

Mesmo que a previsão inicial de chuva para treinos e corridas pareça agora afastada, Tarquini lembra que a possibilidade de mau tempo não preocupa. “Nossa primeira prova em Curitiba foi nesta época do ano e debaixo de chuva, que veio forte cinco minutos antes da largada. A drenagem é boa e o asfalto tem boa aderência mesmo no molhado. É um belo traçado”, elogia.

Além do Mundial de Carros de Turismo, o autódromo receberá o Brasileiro de Marcas, a Auto GP, em sua primeira visitas ao Brasil, e a abertura da Fórmula 3 sul-americana.

Texto: Márcio Fonseca

Foto: Divulgação

Tags: