Ayrton Senna: 20 anos de Saudades

29 de abril de 2014

ayrton_senna 0014Especial Ayrton Senna – 20 Anos de Saudades.

No ano em que completa 20 anos da morte do maior ídolo do Automobilismo Brasileiro, o Carros e Corridas preparou algumas matérias especiais e artigos para lembrar desse que foi o grande motivador para muitos pilotos começarem a correr em competições automotivas. Ayrton Senna não só deixou uma legião incontável de fãs, mas também foi responsável por despertar o instinto de competição que existe dentro daqueles que desafiam o tempo a cada volta dada em uma pista pelo mundo.

Acompanhe um relato biográfico de Ayrton Senna

Ele passou pelo esporte como um cometa, uma estrela de outro mundo cujo brilho como piloto estava acompanhado de um intelecto deslumbrante e um carisma que iluminava a Formula Um como nunca ninguém o havia feito antes.

Ayrton  SennaEm sua carreira, ele se lançou a todos os extremos possíveis onde somente os grandes pilotos conseguiram chegar. Muito introspectivo e passional ao extremo, Ayrton Senna sempre procurava superar os seus próprios limites e correr cada vez mais rápido. Uma busca que o acabou tornando um mártir, mas que não diminuiu a sua mística.

Senna KartAyrton Senna da Silva nasceu no dia 21 de março de 1960 em uma rica família brasileira, onde com seu irmão e irmã, teve acesso a uma educação privilegiada. Ele nunca precisou correr por dinheiro, mas sua profunda necessidade de correr começou com a paixão por uma miniatura de kart dada por seu pai quando ele tinha quatro anos de idade. Quando era garoto, uma das alegrias de sua vida eram as manhas de Grande Prêmio quando acordava ansioso para ver seus heróis da Formula Um na televisão.Senna Tolleman

Aos 13 anos ele correu de kart pela primeira vez e foi onde conquistou sua primeira vitoria nas pistas. Oito anos depois ele foi participar de corridas de monopostos na Inglaterra, onde, em três anos, ganhou cinco campeonatos. Naquele tempo ele abandonou um futuro de negócios ao lado pai para perseguir o sucesso na Formula Um.

Sua estreia na competição aconteceu em Mônaco (Corrida que ele ganharia seis vezes durante toda sua carreira), no ano de 1984 pela equipe Toleman. Na ocasião ele completou a corrida em segundo lugar, atrás apenas da McLaren de Alain Prost. Sob uma chuva torrencial, naquele dia ficou confirmado o talento de Ayrton para correr em pista molhada.

ayrton_senna 0012Certo de que a Toleman tinha recursos limitados para sua ambição de vencer, Senna reincidiu o contrato, pagou uma multa e mudou-se para a Lotus. Correndo três temporadas pela equipe, o piloto ganhou seis corridas e largou 16 vezes na pole (Em sua carreira na Formula Um ele conquistaria a pole 65 vezes).

Atingido todos seus objetivos na Lotus, Senna percebeu que o caminho mais rápido para vencer seria indo para a McLaren. Ele entrou na equipe em 1988 e permaneceu durante seis temporadas, vencendo 35 corridas e três campeonatos mundiais.

Em 1988, quando a McLaren ganhou 15 das 16 corridas da temporada, Senna superou Alain Prost, seu companheiro de equipe, ao vencer oito corridas contra as sete vencidas pelo francês.ayrton_senna 003

Depois disso, os dois pilotos se tornaram protagonistas de uma das disputas mais renhidas da Formula Um. Em 1989, Prost levou o titulo de campeão mundial após bater no carro de Senna em Suzuka. Em 1990, naquela mesma pista, Senna vingou-se do francês, tirando sua Ferrari da competição e conquistando seu segundo título mundial.

Em 1991, suas habilidades como piloto estavam cada vez maiores, assim como sua obcessão em ser o melhor. Suas maiores performances aconteceram em seu ultimo ano na McLaren. Em seguida ele mudou-se para a Williams onde correria a fatídica temporada de 1994.

ayrton_senna 002Alem de ser um piloto genial, Senna foi uma das grandes personalidades do esporte. Apesar de não ser muito alto, o piloto possuía uma poderosa presença física. Quando ele se expressava, falava de maneira eloquente e fascinante com sua voz tremula e brilhantes olhos castanhos.

Ate mesmo os membros mais antigos da Formula Um ficavam hipnotizados com suas palavras durante as coletivas de imprensa. Enquanto o piloto falava, seria possível ouvir ate um alfinete cair no chão, tamanho era o silencio na sala. Suas performances foram capturadas por toda a imprensa mundial e todos estavam cientes do carisma impressionante de Senna.

Todo mundo ficou maravilhado pela maneira como ele se doava e colocava sua alma nas pistas e em tudo que fazia em sua vida. Atrás do volante, a profundidade de seu compromisso era visível para todos, evocando uma combinação desconfortável de admiração por sua habilidade e medo sobre como seria seu futuro.Senna (1)

Ele dirigia como se estivesse possuído por forcas ocultas. Sua ambição implacável despertou a condenação dos críticos, inclusive de Alain Prost que o acusou de preocupar-se mais com as vitórias do que com a própria vida.

Quando Senna revelou que tinha descoberto a religião, Prost e outros sugeriram que ele era um louco perigoso por pensar que Deus era seu copiloto. “Senna e um gênio”, disse Martin Brundle. “Eu defino gênio por um lado e desequilibrado pelo outro. Ele e tão avançado que esta quase no limite. Esta por um triz”.

Ate mesmo o próprio Senna confessou que algumas vezes já tinha ido longe demais, como foi o caso da fase de classificação para o Grande Premio de Mônaco em 1988.

Já com a pole garantida, ele seguiu cada vez mais rápido ate estar dois segundos a frente de Prost, na época seu companheiro de McLaren e que competia com um carro idêntico ao dele.

ayrton_senna 001“De repente aquilo me assustou” Disse Ayrton, “Eu percebi que estava bem mais além do que a minha consciência poderia entender. Voltei lentamente aos boxes e não sai mais naquele dia”.

Ele disse que estava ciente de sua mortalidade e usou o medo para controlar a extensão dos limites que ele sentia vontade de explorar.

Ele considerava a corrida como uma metáfora para vida e pilotar era o seu meio de autodescoberta. “Para mim essa autodescoberta era fascinante. Cada vez que eu ia mais além, me sentia mais recompensado. Mas existia uma contradição. No momento em que você se torna mais rápido, você fica cada vez mais frágil porque em um segundo você pode não estar mais ali. Então e isso. Estes dois extremos contribuem para você se conhecer mais profundamente”.

Mesmo com sua personalidade egocêntrica, Ayrton se preocupava com os problemas do mundo. Ele amava crianças e doou milhões de sua fortuna (avaliada em 400 milhões de dólares quando ele morreu) para ajudar a melhor o futuro das pessoas menos favorecidas no Brasil.Senna Williams

No inicio de 1994  falou sobre as suas expectativas para o futuro. “Eu quero viver plenamente e de maneira intensa. Eu nunca gostaria de viver de maneira incompleta ou sofrer alguma doença ou lesão. Se um dia eu sofrer um acidente que me custe a vida, espero que aconteça de maneira rápida e sem sofrimento”.

E foi assim que aconteceu no dia primeiro de Maio de 1994, no Grande Premio de San Marino quando sua Williams saiu inexplicavelmente da pista e bateu em um muro de concreto na curva Tamburello, há 20 anos, 20 anos de saudades.

Fotos: F1.com-Sutton Images/McLaren/Instituto Ayrton Senna.

Fonte: McLaren

Tradução: Rita Damasceno

2007-2014 – carrosecorridas.com.br – Todos os direitos reservados – Proibida a reprodução sem autorização