Ondulações preocupam André Negrão na Hungria

25 de julho de 2014

228909_420766__sbl3386_web_Uma caminhada nesta quinta-feira pelo circuito, acompanhado dos técnicos da equipe Arden, deixou o brasileiro André Negrão preocupado com o acerto do carro para a única sessão classificatória da rodada dupla do GP da Hungria, 13ª e 14ª etapas da Fórmula GP2. A exemplo do ano passado, o traçado do circuito de Budapeste continua apresentando diversas ondulações que dificultarão a busca das regulagens ideais. “Os piores pontos são as curvas 1, 4 e 5”, relatou Negrão, estreante na divisão de acesso à Fórmula 1.

Como já virou rotina na véspera da abertura da pista, o asfalto encontrava-se bastante sujo devido à reduzida utilização ao longo do ano. Por isso, os ensaios livres da manhã da sexta-feira terão utilidade mais do que relativa, uma vez que as condições de aderência deverão ser completamente diversas à tarde no momento dos treinos que definirão a ordem de largada da corrida de sábado. “A Fórmula 1 andará uma hora e meia antes do nosso qualifying e a pista mudará bastante”, lembrou Negrão.

As duas provas do fim de semana serão as últimas antes do recesso de férias do verão europeu. Num circuito de baixa velocidade, de exigências aerodinâmicas quase idênticas às exigidas pelos traçados urbanos e ultrapassagens virtualmente impossíveis, Negrão terá nova chance de buscar os primeiros pontos do ano. Na semana passada, ele deixou ótima impressão no molhado ao liderar várias voltas da primeira bateria em Hockenheim. Já com o conhecimento da pista húngara de seus tempos na Fórmula Renault 3.5, ele mantém uma expectativa otimista. “Vamos buscar a melhor posição possível de largada. Essa é a meta inicial e temos possibilidades boas de alcança-la.”

Texto:Márcio Fonseca
Foto: André Negrão