Brasil conquista quatro títulos em Nova Odessa

28 de julho de 2014

229385_422363__t9b0593_web_O Brasil conquistou quatro dos cinco títulos em jogo na oitava edição do Kart World Championship (KWC), o campeonato mundial de karts com motores quatro tempos, encerrado na noite do último domingo (27), em Nova Odessa (SP). Depois de sair na frente na disputa por equipes no domingo anterior (com Luir Miranda, Nicolas Costa, Matheus Porto e Felipe Vieira), a delegação brasileira também levantou a taça na competição individual (com Maurício Pereira) e nas divisões Master (Gustavo Mattedi) e Júnior (Gabriel Cattucci). Somente o título da categoria feminina não ficou com um piloto da casa. A campeã entre as mulheres foi a holandesa Mellanie Motz.

“Os melhores pilotos de kart quatro tempos do Brasil e alguns dos melhores do mundo estiveram aqui durante as disputas do KWC. Tivemos muitos destaques internacionais, ex-campeões mundiais, multicampeões brasileiros, gente que treina três, quatro, cinco vezes por semana e tem o domínio deste tipo de equipamento. E isso elevou às alturas o nível técnico do evento. Foi muito gratificante reunir todo esse pessoal em um circuito que tem uma estrutura física igualmente excelente, como o Kartódromo Internacional de Nova Odessa”, disse Poul Hornemann, organizador do evento.

A edição brasileira do KWC reuniu representantes de doze países – Brasil, Grã-Bretanha, Espanha, Colômbia, Holanda, Dinamarca, Portugal, Bélgica, Suécia, Polônia, Itália e Noruega. Desde o início, no entanto, os brasileiros demonstraram que dominariam as disputas, apesar da velocidade e constância demonstrada pelos estrangeiros.

O gaúcho Felipe Leite liderou os três primeiros dias de competição e só perdeu a ponta para o paulista Maurício Pereira na semifinal.

“É um orgulho para mim disputar o título mundial com um número tão grande de pilotos de alto nível. Por ser este um campeonato muito longo e difícil, o vice-campeonato é um ótimo resultado. Fica o gostinho de que poderia ter chegado ao título, mas desta vez não deu. Tive alguns resultados medianos no penúltimo dia e isso permitiu a virada. Na final, fiz o que podia fazer, que era chegar à frente do Maurício, mas acabei perdendo o título pelo que ocorreu algumas provas antes”, declarou o vice-campeão.

Depois de sete corridas classificatórias e uma semifinal, a definição do grid para a última bateria ocorreu na forma de confrontos diretos, kart a kart, entre os classificados para a decisão. Encerrada esta verdadeira maratona de atividades no circuito paulista, o título individual geral ficou com o já tricampeão brasileiro de karts com motores quatro tempos, Maurício Pereira.

“Consegui recuperar um primeiro dia muito ruim, quando abandonei uma das provas por quebra e terminei outra em sétimo lugar. Graças a Deus deu tudo certo e poderei levar o troféu para casa, apesar das dificuldades. Na final, eu precisava chegar uma posição atrás do Felipe e, ao conseguir evitar um acidente na largada, o caminho para o título se abriu”, declarou Pereira, que disputou o Campeonato Mundial pela terceira vez.

Na prova decisiva, o paulista cruzou a linha de chegada em terceiro, uma posição atrás de Felipe Leite. A vitória foi do colombiano Andres Prieto, que chegou à final em 11oº na classificação geral e fechou a disputa em quinto. Ele também foi o pole position da bateria decisiva, que reuniu 30 karts e teve uma hora de duração.

“A final foi uma prova dura e longa. Eu sabia que tinha um bom kart nas mãos, talvez o melhor da pista, então tratei de cuidar bem dele para evitar qualquer problema mecânico. Foi um bom campeonato e no ano que vem estarei de volta para tentar o título”, declarou o colombiano.

Campinas no alto do pódio 

O título da categoria Master, reservada a pilotos com mais de 40 anos de idade, ficou com o piloto de Campinas, Gustavo Mattedi. Ele começou a correr de kart com frequência há três anos e admitiu que chegou com a pretensão de disputar apenas a semifinal. Por isso, se surpreendeu com o título.

“Só depois que terminou a final fiquei sabendo que tinha sido campeão. Só acreditei depois do pódio”, brincou o campeão. “Treinei muito para este torneio, de três a quatro vezes por semana, tanto em Nova Odessa quanto em Paulínia (outra cidade da região que possui um bom kartódromo). Mesmo muito bem preparado, acabei errando na tomada de tempos para a final e saí mal posicionado, mas deu tudo certo”, comemorou o campeão.

A disputa pelo título entre os pilotos mais jovens do campeonato também ficou com um paulista. Gabriel Lorenzo Cattucci, primo do campeão mundial de Biland Kart e hoje piloto da Fórmula Truck, Alberto Cattucci, foi o vencedor entre os Juniores mesmo sem se classificar para a final. Treinado pelo primo, um especialista em karts com motores quatro tempos, Cattucci somou os pontos que precisava durante o torneio e admitiu que sentiu o peso da inexperiência na disputa com os melhores do mundo.

“Como este foi o meu primeiro mundial, cometi muitos erros que me custaram pontos importantes na disputa por uma vaga na final. Mesmo assim, para mim foi uma honra correr com esse pessoal, e pude aprender muito nesta semana. Cada competidor tem um recurso diferente e andando junto com todos estes campeões é possível assimilar muita coisa nova”, reforçou o primeiro colocado entre os pilotos de até 14 anos de idade.

A edição de 2015 do KWC será na Itália.

Texto: Inova Comunicação/Divulgação

Foto: Stage 25 Productions/Divulgação