Matthieu Lussiana conquista o segundo lugar em Brasília e se mantém líder

28 de julho de 2014

229207_421833_9c6g0731Sobrou emoção na disputa da terceira etapa do Moto 1000 GP, categoria GP 1000. Desde a largada, o que se viu foram muitas brigas por posições. E, depois de vários pegas acirrados com Alex Barros e Matthieu Lussiana, o argentino Diego Pierluigi levou a melhor e venceu a etapa brasiliense, ao completar as 14 voltas em 28min15s050, ele ainda anotou a volta mais rápida, com 1min59s121 a 165,492 km/h no giro 2. O piloto francês da Petronas Alex Barros Racing completou a prova em segundo, após herdar a posição de Alexandre Barros, da BMW Motorrad Alex Barros Racing, que sofreu uma queda na última volta, quando brigava pela liderança. Lucas Barros, também da Petronas, chegou a brigar pelo décimo posto, mas levou um toque e completou a disputa em 12º. A próxima etapa será em Cascavel, no dia 31 de agosto.

Mais uma etapa muito disputada. Assim pode ser definida a prova que marcou a terceira etapa do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade no autódromo Internacional Nelson Piquet, em Brasília. Na largada, Alexandre Barros já assumiu a ponta, o pole Diego Pierluigi e Matthieu Lussiana seguiam o mesmo ritmo. Não demorou para que o experiente Alex fosse atacado por ambos. Os três travaram um belo espetáculo, sempre brigando pelas três primeiras posições e se revezando na liderança, abrindo para os demais concorrentes do segundo pelotão.

229207_421834_9c6g7371Na metade da prova, Matthieu sofrendo com desgaste dos pneus, não conseguiu mais acompanhar o ritmo, e deixou a briga para Alex e Pierluigi, que travaram, curva a curva, uma bela briga pela vitória. Nas três últimas voltas começou a garoar em Brasília, exigindo mais cautela dos pilotos. E, na última volta, em uma entrada de curva com pista molhada, Pierluigi derrapou de leve, mas conseguiu se manter. Alex não teve a mesma sorte e acabou caindo, e não conseguiu voltar à pista. Alex não completou a prova e perdeu a chance de buscar a vitória, em seu retorno às pistas. No mesmo ponto, mais três pilotos também caíram: Wesley Gutierrez, Miguel Praia e Nick Ferreira, todos felizmente sem gravidade.

Para Matthieu Lussiana, o resultado foi positivo, visando o campeonato. Com o segundo lugar, o francês da equipe Petronas, se mantém na liderança da tabela de classificação, com 68 pontos. Mas ele não ficou totalmente satisfeito.

“Foi muito difícil para mim. No começo, eu estava bem e consegui andar no ritmo do Diego e do Alex. Mas no meio da corrida, os pneus foram ficando bem danificados e aí não consegui mais manter a mesma tocada que eles. Mas, o resultado foi importante para o campeonato. Fico feliz por isso, mas saio um pouco decepcionado em perder o ritmo”, comentou o francês dono do equipamento BMW S 1000 RR HP4 nº 94.

229207_421835_light__7_Ainda com dores, Alex Barros lamentou ter sofrido uma queda praticamente no fim da corrida. “Tivemos algumas dificuldades para encontrar o melhor acerto da moto BMW HP4, e acho que faltaram alguns detalhes para ela estar 100%. De toda forma, foi uma boa corrida. Mas a três voltas do final, a chuva começou a apertar e, acho que a direção poderia ter parado a prova, porque essa pista de Brasília não aceita chuva, pois fica muito escorregadia, devido as suas irregularidades e remendos. Quando começou a chover eu dei uma poupada, usando a cautela, e mesmo assim acabei caindo. Ali é um trecho de asfalto e concreto e realmente fica perigoso quando a pista está molhada, tanto que outros pilotos também caíram e o próprio Pierluigi quase caiu também. Uma pena o resultado”, observou o experiente Alexandre Barros, que somou dois pontos na classificação.

Lucas Barros reconheceu que não foi o melhor resultado. Mas, no balanço do fim de semana, ficou satisfeito em manter sua evolução na GP 1000. “Foi um fim de semana difícil. Na largada eu busquei fazer uma saída mais consciente e mantive a posição. Depois fiquei ali no segundo pelotão, tentando manter um bom ritmo. Mas eu e o Alan Douglas nos tocamos, fui para a grama, quase caí e acabai perdendo muitas posições, caí para último e vim buscando. Quando começou a chover eu resolvi poupar, para manter a posição e pontuar. Apesar do resultado não ter sido o que eu queria, consegui evoluir mais um pouco e isso é bom para mim”, considerou o paulista.

229207_421832_img_6053Lucas Teodoro garante top-10 e avança na classificação
Na GP Light, a briga ficou pelas posições intermediárias. Isso porque bem no começo da prova, válida pela terceira etapa do Moto 1000 GP, o piloto da casa Ian Testa, que largou em segundo, partiu para cima do pole position Nicolas Tortone, para assumir a liderança da prova e vencer com tranquilidade. O brasiliense completou as 11 voltas em 22min43s972. Vale lembrar que Henrique Castro, que anotou a pole position ontem, foi penalizado por irregularidade técnica e caiu para a oitava colocação no grid.

Para Lucas Teodoro, da equipe BMW Motorrad, que largou em 13º, a disputa foi importante para voltar a pontuar na classificação. Mantendo bom ritmo na corrida, o paulista de Ribeirão Preto, conquistou três posições na pista para concluir a terceira etapa na décima posição. Com o resultado, o piloto de 17 anos soma mais seis pontos e agora está com 12 pontos, na 12ª posição na tabela.

“Hoje acho que as coisas deram mais certo. Larguei em 13º, e consegui fazer uma boa largada, subindo para sétimo. Pouco depois, eu errei a marcha e os outros pilotos abriram uma diferença. Mas estou feliz pelo resultado. Consegui evoluir mais um pouco e voltei a pontuar. Agora é pensar na próxima etapa”, disse o dono da BMW S 1000 RR nº 41.

Resultado GP 1000 em Brasília (top-10):
1) Diego Pierluigi – JC Racing Team, 14 voltas em 28min15s050
2) Matthieu Lussiana – Petronas Alex Barros Racing, a 11s055
3) Luciano Ribodino – HPN Racing Team, a 12s057
4) Danilo Lewis – Motonil Motors-PDV Brasil-RC3, a 35s251
5) Nico Ferreira – HPN Racing Team, a 47s606
6) Al Malki – MR Lekhwita Racing Team, a 1min01s224
7) Diego Faustino – Team Suzuki PRT, a 1min03s607
8) Miguel Praia – Center Moto Racing Team, a 1min15s025
9) Alan Douglas -Team Suzuki PRT, a 1min20s560
10) Nick Iatauro – Team Suzuki PRT, a 1min32s199
12) Lucas Barros – Petronas Alex Barros Racing, a 1min58s641
14) Alex Barros – BMW Motorrad Alex Barros Racing, a uma volta

Resultado GP Light em Brasília (top-15):
1) Ian Testa – Motonil Motors-PDV Brasil, 11 voltas em 22min43s972
2) Rafael Bertagnolli – Fábio Loko, a 12s266
3) Henrique Castro – City BSB Motor Racing, a 12s727
4) Nicolas Tortone – MGBikes Yamaha Racing, a 20s888
5) Marcelo Cortes – Center Moto Racing Team, a 21s330
6) Rodrigo de Benedictis – Motonil Motors-PDV Brasil, a 25s752
7) Juracy Rodrigues – Black Day Racing Team, a 34s867
8) Marcelo Skaf – Motonil Motors-PDV Brasil, a 36s009
9) Marcelo Souza – JC Racing Team, a 48s546
10) Lucas Teodoro – BMW Motorrad Alex Barros Racing, a 49s786
11) Fabinho Adas – Paulinho Superbikes, a 50s197
12) Pedro Barata – Center Moto Racing Team, a 56s738
13) A. Andrade, a 1min04s006
14) Sandro Campos – Dawnriders Racing Team, 1min35s775
15) Samuel Silva – Wesley Testa, 1min36s015

Classificação do campeonato GP 1000 (top-10 – após três etapas)
1) Matthieu Lussiana, 68
2) Wesley Gutierrez, 37
3) Miguel Praia, 35
4) Diego Pierluigi e Luciano Ribodino,27
6) Danilo Lewis, Nico Ferreira e Danny Eslick, 26
9) Renato Andreghetto, 20
10) Diego Fautisno, 19
11) Lucas Barros, 18
23) Alex Barros, 2

Classificação do campeonato GP Light (top-10 – após três etapas)
1) Ian Testa, 54
2) Henrique Castro, 51
3) Rafael Bertagnolli, 40
4) Fabinho Adas, 38
5) Rodrigo Benedictis, 34
6) Nicolas Tortone, 31
7) Marcelos Cortes, 24
8) Marcelo Souza, 19
9) Juracy Rodrigues, 18
10) Ricardo Levy e Marcelo Skaf, 17
12) Lucas Teodoro, 12

Fotos: Equipe Sanderson