Michelin lança programa de educação no trânsito voltado aos jovens

13 de agosto de 2014

michelin-arch-with-caddy-cts-subie-wrx-stiVocê sabia que o Brasil é o 4º país no mundo em mortes no trânsito, onde mais de 25% dos acidentes fatais envolvem jovens de 20 a 29 anos? Com a missão de contribuir de forma sustentável para o progresso da mobilidade das pessoas e dos bens, oferecendo mais eficiência, menor impacto ambiental e, principalmente, mais segurança, a Michelin lança nesta terça-feira, 12 de agosto, inovador programa voltado aos universitários: o Michelin Best Driver.

“O Brasil foi o país escolhido pelo Grupo Michelin para criar o conceito do Programa Michelin Best Driver. Nossa equipe brasileira concebeu esse programa de forma inovadora, que servirá de referência para a posterior implantação em outros países. Trata-se de um programa educacional, que conta com o apoio das principais universidades brasileiras e tem como objetivo sensibilizar o público jovem, principal vítima dos acidentes de trânsito”, afirma Damien Destremeau, vice-presidente da Michelin América do Sul.

O Michelin Best Driver levará o tema a 15 universidades renomadas do país. Além da realização de talk shows com o escritor, sociólogo e especialista em segurança no trânsito Eduardo Biavati e profissionais do automobilismo, será instalado, em cada instituição de ensino, um simulador, que testará a performance dos estudantes com cenas cotidianas.

“Para construir o programa, estudamos com detalhes o comportamento dos jovens a fim de buscar o formato, o conteúdo e a linguagem mais apropriada para desenvolver uma solução que tivesse impacto junto a este público”, explica Destremau.
Para conscientizar os jovens sobre a forma de dirigir, um aparelho de telemetria será instalado por um mês no carro de universitários das instituições participantes do programa. Trata-se de um aparelho que monitora o desempenho veicular, ou seja, mensura o nível de segurança da condução do motorista no período avaliado.

Serão avaliadas aceleração, frenagem, curva e velocidade (a combinação desses quatro critérios totalizam os 16 indicadores de desempenho do motorista). Com base nos dados apurados, os estudantes serão classificados em uma escala de zero a 100. Quanto maior a pontuação, mais segura a condução do motorista.

“Segurança no trânsito é um hábito de saúde que aprendemos ao longo da vida. E todo hábito de saúde é uma escolha e uma ação: use o cinto, não beba antes de dirigir, desconecte o celular, modere a velocidade. Atitudes simples geralmente decidem tudo no trânsito”, enfatiza o especialista Eduardo Biavati.

Foto: Divulgação

2007-2014 – carrosecorridas.com.br – Todos os direitos reservados – Proibida a reprodução sem autorização