Velocidade máxima na terceira etapa do Rally dos Sertões

27 de agosto de 2014

303_rs14_viniciusbranca_034998_altaO Rally dos Sertões se despediu do estado de Goiás nesta terça-feira (26) deixando a cidade de Catalão para cumprir 360 quilômetros até Paracatu, já em Minas Gerais. Pilotos e navegadores cumpriram um total de 209,8 quilômetros de trechos cronometrados e a disputa entre os carros da categoria T1 FIA foi eletrizante.

“Foi uma corrida meio maluca”, definiu Cristian Baumgart, piloto do Ford Ranger 4×4 N° 316 do X Rally Team. “O traçado era diferente e fugia do padrão a que estamos acostumados no Sertões. Tanto é que foi uma especial de ‘marcação cerrada’, porque a todo momento víamos o carro do Guiga (Spinelli) e do (Reinaldo) Varela. Praticamente nos cruzávamos, principalmente na parte final”, explicou o piloto, que tem Beco Andreotti como navegador no carro preparado pela sul-africana Neil Woolridge Motorsports. “Mesmo assim, foi uma especial deliciosa de se guiar e também de navegar. Viemos em um bom ritmo o tempo todo e conseguimos descontar mais a diferença”, disse.

316_rs14_ricardoleizer_035501_altaCristian e Beco terminaram a especial em segundo lugar, a apenas 1min18s de Guilherme Spinelli/Youssef Haddad, e 40 segundos à frente da dupla Varela/Gugelmin. No acumulado, Baumgart/Andreotti subiu novamente ao segundo lugar, com 2min47s de desvantagem depois da punição de cinco minutos na primeira etapa.

Alguns dos trechos da especial desta terça-feira possibilitaram às duplas do X Rally Team ver mais um pouco do potencial dos Ford Ranger 4×4. Na etapa de hoje, o N°316 alcançou 179 km/h de velocidade máxima, apenas dois a mais do que o Ford Ranger 4×4      N°303, de Marcos Baumgart/Kleber Cincea. Os carros dos irmãos Baumgart são movidos por um motor Ford V8 de cinco litros e 350 cavalos de potência.

“Hoje foi a especial em que alcançamos nossa maior velocidade até agora no Sertões, e os trechos nos proporcionaram isso. Ele chegou à velocidade máxima em muito pouco tempo. Foi um dia bem gostoso de guiar, bem rápido, e tivemos um bom dia. Nossa ideia é evoluir a cada etapa, e isso tem acontecido”, apontou Marcos Baumgart, que terminou a etapa na quarta colocação, a 1min16s de Reinaldo Varela.

Agora, o X Rally Team e a NWM Motorsports trabalham nos carros visando a etapa desta quarta-feira (27), que terá 363,85 quilômetros de especiais, de um total de 585,3, entre Paracatu e São Francisco – a mais longa até o momento no Rally dos Sertões.

Confira os tempos da segunda etapa (cat. T1 FIA)
1-) Reinaldo Varela/Gustavo Gugelmin (Toyota Hilux) – 2h34min29s
2-) Cristian Baumgart/Beco Andreotti (Ford Ranger) – 2h35min48s (-1min18s)
3-) Guilherme Spinelli/Youssef Haddad (Mitsubishi ASX) – 2h36min30s (-2min01s)
4-) Marcos Baumgart/Kleber Cincea (Ford Ranger) – 2h37min47s (-3min17s)

GERAL ACUMULADO:
1-) Guilherme Spinelli/Youssef Haddad (Mitsubishi ASX) – 5h17min16s
2-) Cristian Baumgart/Beco Andreotti (Ford Ranger) – 5h20min03s (-2min47s)
3-) Marcos Baumgart/Kleber Cincea (Ford Ranger) – 5h20min42s (-3min26s)
4-) Reinaldo Varela/Gustavo Gugelmin (Toyota Hilux) – 5h24min45s (-7min28s)

Confira as etapas restantes do Rally dos Sertões 2014:

27 de agosto – 4ª etapa – Paracatu (MG)/São Francisco (MG)
MARATONA
Deslocamento inicial: 135,24 km
Trecho especial: 363,85 km
Deslocamento final: 86,21 km
Total do dia: 585,3 km

28 de agosto – 5ª etapa – São Francisco (MG)/Diamantina (MG) – MARATONA
Deslocamento inicial: 223,57 km
Trecho especial: 335,98 km
Deslocamento final: 81 km
Total do dia: 718 km

29 de agosto- 6ª etapa – Diamantina (MG)/Diamantina (MG)
Deslocamento inicial: 23 km
Trecho especial: 159 km
Deslocamento final: 30 km
Total do dia: 213 km

30 de agosto- 7ª etapa – Diamantina (MG)/Belo Horizonte (MG)
Deslocamento inicial: 59 km
Trecho especial: 125 km
Deslocamento final: 146 km
Total do dia: 331 km
Total do Rally: 2.684 km

Fotos: Webventure

2007-2014 – carrosecorridas.com.br – Todos os direitos reservados – Proibida a reprodução sem autorização