Escolha de pneus define resultado da quarta etapa entre os carros

28 de agosto de 2014

232322_431436_316_rs14_magnustorquato_020506_alta__1_A especial entre Paracatu e São Francisco, em Minas Gerais, teve 364 quilômetros cronometrados e 221 de deslocamentos, totalizando 585 km no quarto dia de competição.

Com muitos trechos carregados de areia na pista, quem fez a escolha pelos pneus específico para este tipo de piso se deu melhor, como foi o caso entre os carros na categoria T1 FIA. Com uma estratégia mais conservadora às vésperas da etapa maratona, as duplas do X Rally Team/NWM optaram por pneus mais resistentes e fecharam o dia na terceira posição com Cristian Baumgart/Beco Andreotti e em quarto com Marcos Baumgart/Kleber Cincea.

232322_431437_303_rs14_victoreleuterio_040568_alta“Optamos por uma tocada mais conservadora, mas a quantidade de areia nos surpreendeu”, destacou Cristian. “Sabíamos que haveria alguns trechos, mas não tantos. Isso nos prejudicou um pouco, porque tínhamos um excelente carro em mãos. Tanto é que quando pegávamos o piso mais duro nós chegávamos nos carros à nossa frente”, apontou o piloto, que continua com o segundo melhor tempo no acumulado das quatro etapas, a apenas seis minutos de Spinelli.

A vitória da especial ficou com o Toyota Hilux de Reinaldo Varela/Gustavo Gulgelmin, com um tempo que o colocou 27 segundos à frente de Guilherme Spinelli/Youssef Haddad (Mitsubishi ASX). Mesmo aproveitando os momentos de piso mais duro e a ótima velocidade de reta dos Ford Ranger 4×4, Cristian e Marcos terminaram 2min42s e 8min26s atrás dos dois primeiros colocados.

232322_431435_303_rs14_marcelomachado_043280_alta“Foi uma especial divertida de guiar, mas tínhamos pouca ou nenhuma aderência em alguns momentos, e isso acabou prejudicando o nosso desempenho hoje. Ainda falta um pouco para encontrarmos o limite do carro, mas estamos trabalhando passo a passo. Em um rally como o Sertões não adianta querer atropelar as coisas”, afirmou Marcos.

Agora o X Rally Team e a NWM trabalham em uma revisão profunda dos dois Ford Ranger 4×4, além da troca de uma série de peças, visando a quinta especial do rally, que acontece amanhã (28) entre São Francisco e Diamantina, na temida etapa maratona. Nela, somente piloto e navegador podem realizar qualquer tipo de manutenção no carro. Qualquer assistência externa da equipe é proibida por regulamento.

Confira os tempos da quarta etapa (cat. T1 FIA)
1-) Reinaldo Varela/Gustavo Gugelmin (Toyota Hilux) – 3h52min43s
2-) Guilherme Spinelli/Youssef Haddad (Mitsubishi ASX) – 3h53min10s (-27s)
3-) Cristian Baumgart/Beco Andreotti (Ford Ranger) – 3h56min26s (-2min42s)
4-) Marcos Baumgart/Kleber Cincea (Ford Ranger) – 4h01min10s (-8min26s)

GERAL ACUMULADO:
1-) Guilherme Spinelli/Youssef Haddad (Mitsubishi ASX) – 9h10min27s
2-) Cristian Baumgart/Beco Andreotti (Ford Ranger) – 9h16min29s (-6min02s)
3-) Reinaldo Varela/Gustavo Gugelmin (Toyota Hilux) – 9h17min29s (-7min01s)
4-) Marcos Baumgart/Kleber Cincea (Ford Ranger) – 9h21min53s (-11min26s)

Confira as etapas restantes do Rally dos Sertões 2014:

28 de agosto – 5ª etapa – São Francisco (MG)/Diamantina (MG) – MARATONA
Deslocamento inicial: 223,57 km
Trecho especial: 335,98 km
Deslocamento final: 81 km
Total do dia: 718 km

29 de agosto – 6ª etapa – Diamantina (MG)/Diamantina (MG)
Deslocamento inicial: 23 km
Trecho especial: 159 km
Deslocamento final: 30 km
Total do dia: 213 km

30 de agosto – 7ª etapa – Diamantina (MG)/Belo Horizonte (MG)
Deslocamento inicial: 59 km
Trecho especial: 125 km
Deslocamento final: 146 km
Total do dia: 331 km
Total do Rally: 2.684 km

Fotos: Magnus Torquato/Victor Eleutério/Marcelo Machado/Ricardo Leizer/Webventure

2007-2014 – carrosecorridas.com.br – Todos os direitos reservados – Proibida a reprodução sem autorização