Serrinha vence prova paralisada por chuva em Curitiba

31 de agosto de 2014

232690_432624_bt_20140831__serra_0005_web_Em um dia totalmente anormal, a Red Bull Racing teve, finalmente, um domingo normal. Após uma série de infortúnios na primeira metade da temporada, Cacá Bueno e, principalmente, Daniel Serra lavaram a alma neste domingo (31), debaixo de forte chuva em Curitiba (PR). Serrinha venceu pela primeira vez no ano, sua sétima conquista na carreira, mas levou só metade dos pontos. A direção de prova optou por interromper a primeira corrida do dia antes de 75% do tempo ser concluído em virtude das condições da pista, que tinha muita água. Na segunda prova, com condições melhores, Cacá e o piloto do carro número 29 mostraram bom desempenho para somar pontos importantes no campeonato.

Na verdade, a primeira prova do domingo foi mais uma procissão que uma corrida, propriamente dita. Devido à forte chuva que caiu na capital paranaense, os pilotos largaram atrás do safety car. Depois de quatro voltas em fila indiana, a disputa foi liberada a partir da quinta volta, com Serrinha mantendo a ponta, sem problemas, e Cacá ganhando a posição de Thiago Camilo que rodou na entrada do miolo. A bandeira verde durou pouco. Duas passagens depois, o carro madrinha voltou a liderar o pelotão após o acidente de Alceu Feldmann próximo à entrada de box.

Na relargada, Serrinha conseguiu, mais uma vez, abrir vantagem para Allam Khodair, segundo colocado, que perdeu a posição na primeira curva para Valdeno Brito. Com a chuva ainda mais intensa, mais acidentes aconteceram envolvendo Ricardo Zonta e Bia Figueiredo, além de Lico Kaesemodel, fazendo com que o safety car retornasse à pista e, uma volta depois, a prova fosse interrompida com a bandeira vermelha.

Depois de uma longa paralização esperando que o tempo melhorasse, a direção de prova decidiu por dar a corrida como finalizada com Serrinha como vencedor, seguido por Valdeno e Khodair, e Cacá em quinto. Como menos de 75% do tempo de 40 minutos foi disputado, a pontuação dada aos 20 primeiros foi a metade do que o de costume.

Com o grid invertido entre os dez primeiros da primeira corrida e a pista em melhores condições, mas ainda bastante molhada, a segunda prova também começou atrás do safety car. Com a largada sendo autorizada a partir da terceira volta, a dupla da Red Bull Racing logo foi para cima dos adversários.

O pentacampeão logo superou Julio Campos, para assumir o quinto lugar, enquanto Serrinha se beneficiou da rodada de Valdeno Brito na primeira curva para pular de décimo para nono e na mesma volta ultrapassar Antonio Pizzonia, antes de mais uma entrada do safety car.

Após mais uma relargada, Cacá partiu para cima de Sérgio Jimenez, para assumir o quarto lugar, que seria sua posição final na prova. Um pouco mais atrás, Serrinha travava uma intensa disputa com Thiago Camilo, Átila Abreu e Julio Campos, conseguindo superar todos para receber a bandeira quadriculada em sexto e sair de Curitiba como o maior pontuador do fim de semana, com um total de 21 pontos.

A próxima parada da temporada 2014 da Stock Car é no autódromo do Velopark, em Nova Santa Rita (RS), em duas semanas, dia 14 de setembro, para a disputa da oitava etapa, de um total de 12.

“A gente sai daqui de Curitiba com sentimentos diferentes. Fizemos o que a gente se propôs, que era somar o maior número de pontos no fim de semana, mas fica uma certa frustração por fazer só metade dos pontos pela vitória na primeira corrida. Era para somar 33 pontos, que seria a maior pontuação de um piloto este ano, mas saio daqui com 21. Agora é continuar com esta meta para as próximas cinco etapas e, quem sabe, conseguir me recuperar no campeonato, para chegar na última etapa (com pontuação dobrada) na luta pelo título. Sobre as corridas, estava muito difícil pilotar, pela quantidade de água que tinha na pista e até eu, que estava andando sem spray, mal conseguia enxergar a pista, imagino como estava para quem vinha atrás. A decisão da bandeira vermelha foi acertada, mas talvez desse para terminar a primeira corrida, já que é a que conta com a maior pontuação e, com isso, a segunda prova acabou valendo mais que a corrida principal”, apontou Daniel Serra.

“Tivemos um bom fim de semana, pensando no campeonato. Cheguei aqui (em Curitiba) em oitavo, a 23 pontos do Átila (Abreu, líder da temporada) e saio em quarto lugar, a 19,5 pontos dele, e mais perto do (Sergio) Jimenez (terceiro colocado). Claro que teria sido ainda melhor se os pontos da primeira tivessem valido na totalidade, mas a pista estava realmente crítica. Eu, em sexto lugar, não conseguia enxergar nada. Era totalmente dependente da referência de quem estava na frente. Além disso, tinha muita água na pista toda e o carro aquaplanava em vários pontos, inclusive na reta. Pena que a paralização durou tanto tempo, porque as arquibancadas estavam cheias e muita gente foi embora sem assistir à corrida, mas temos de pensar sempre na segurança de todos os pilotos, em primeiro lugar”, destacou Cacá Bueno.

Texto: Red Bull Racing/Divulgação

Foto: Bruno Terena/Red Bull Racing/Divulgação