O comportamento dos pneus em Suzuka

29 de setembro de 2014

2011 Japanese Grand Prix - ThursdaySuzuka Circuit, Suzuka, Japan.6th October 2011.A view from the track at SuzukaWorld Copyright: Steven Tee/LAT Photographicref: Digital Image _A8C5303A Fórmula Um desembarca no Japão para a realização da décima quinta etapa do Mundial de Fórmula Um.

Suzuka tem por característica as altas cargas de força lateral, combinadas com exigências longitudinais das mais baixas do ano. A curva 15, conhecida como 130R, é feita com o pé embaixo, em velocidades superiores a 300 km/h. Isso coloca uma grande carga nos pneus, submetendo-os à uma Força G massiva (que também age sobre o piloto). O pneu dianteiro esquerdo é exigido ao máximo no Japão.

Para o GP nipônico, a Pirelli, fornecedora oficial de pneus da F1 levou seus compostos mais duros. O pneu médio é um composto de baixa gama de trabalho, capaz de atingir sua performance máxima, mesmo em baixas temperaturas. Ao contrário, o pneu duro é um composto de alta gama de trabalho, ideal para temperaturas mais elevadas. Temperaturas amenas são esperadas para o GP do Japão neste ano, com possibilidade de chuva.

O asfalto em Suzuka é muito abrasivo, mas há um ato grau de evolução da pista. Ter o setup correto é essencial. Pode haver risco de granulação, especialmente nos primeiros treinos livres, quando a pista está em sua maior parte “verde”.

A estratégia vencedora no ano passado foi de duas paradas, com o piloto da Red Bull Sebastian Vettel parando nas voltas 14 e 37. O alemão começou com o pneu médio e fez os dois stints finais com pneu duro.

“Suzuka é um circuito fantástico do ponto de vista do piloto. É muito técnico, com cada pedaço do circuito sendo muito diferente dos outros. Eu diria que a 130R é uma das curvas mais exigentes de toda a temporada, que requer o setup correto, e que o carro esteja absolutamente colado no chão. Os ‘esses’ também são extremamente exigentes: se você comete apenas um erro, toda a sequência fica comprometida e perde-se muito tempo. Corremos, muitas vezes, com chuva em Suzuka. Nestas situações, a visibilidade é muito baixa. A pista também costuma evoluir muito, durante o fim de semana. Começamos com uma superfície muito abrasiva e ‘verde’, mas o piloto deve prestar muita atenção em como a situação se altera ao longo dos três dias de trabalho aqui e em como isso afeta os pneus”, disse Jean Alesi, consultor da Pirelli.

Confira vídeo com o comportamento dos pneus em Suzuka:[youtube]dGhDcYeo7sI#t[/youtube]