Polaris Cup define campeões de 2014

2 de dezembro de 2014

image008Depois de passar por Indaiatuba (SP), Inhumas (GO), Maceió (AL), Brotas (SP), Inhaúma (MG), a cidade de Itupeva (SP), a 70 km da capital, marcou a última etapa da temporada da Polaris Cup 2014, o maior campeonato privado da categoria UTV no Brasil. A 6º etapa do primeiro campeonato exclusivo para clientes da marca, líder mundial no segmento de ATV e UTV, foi repleta de emoção e reuniu 28 participantes.

A competição ofereceu com uma pista rápida que propôs aos participantes uma prova de alta velocidade. De acordo com o gerente de produtos da Polaris, Nuno Fojo, o percurso foi muito eletrizante, por conta da chuva nos dias que antecederam a disputa, deixando o circuito com um misto de piso batido, escorregadio, arenoso e com muita lama. “A última etapa trouxe um trajeto inédito em uma pista já conhecida pelos pilotos. Ao contrário de todas provas já realizadas no local, criamos uma pista no sentido horário, largando na esquerda e chegando pela direita. A surpresa foi bem recebida pelos competidores”, comenta.

A sexta fase da Polaris Cup também contou com a presença dos experientes pilotos do Rally dos Sertões: Helena Deyama, que competiu na categoria RZR S 800, e Zé Hélio, que conquistou a primeira colocação na Super Production. Gustavo “Tatá” Xavier liderou a modalidade RZR 900 e Rodrigo Cordaro a RZR S 800. Na classe feminina, Cláudia Grandi foi campeã.

“Desde a primeira edição da Polaris Cup obtivemos muito sucesso, além de promover mais aproximação com nossos clientes. A prova não é vista apenas como competição, mas se transformou em uma reunião de amigos devido ao clima familiar, com as crinças brincando, marido e esposa competindo e se confraternizando. Além disso, é uma forma de atrair muitos entusiastas do fora de estrada, inclusive os principiantes. Fizemos história no mundo off-road”, afirma Rodrigo Lourenço, diretor geral da marca na América do Sul.

E foi esse clima familiar que atraiu a categoria feminina, formada pelas esposas dos pilotos. Para Roberlena Moraes, a prova foi a realização de um sonho.

image012“Aonde você vê um campeonato em que cada etapa todos estão felizes, em clima de descontração, crianças correndo, pilotos torcendo pelos seus “rivais”, competidores, que estão brigando pelas mesmas colocações, dando dicas e ajudando com peças? Isto não é normal, isto é a Polaris Cup! A marca quer que você tenha prazer em pilotar um RZR e se você não consegue entender o que esse veículo é capaz, eles não te deixam desistir, te ensinam e dão um milhão de dicas. Isso é família Polaris”, comentou Roberlena em sua página em uma rede social.

O campeão da categoria RZR Super Production foi Henrique Gutierrez, com 159 pontos, seguido por Paulo Rugna, com 129, e Maurício Rocha, com 95 pontos. Na modalidade RZR 900, o vencedor foi Gustavo “Tatá” Xavier, com 214 pontos. Marcelo Carqueijo ficou em segundo, com 162 pontos, e Gustavo Lapertosa em terceiro, com 97. Já nos RZR S 800, o título ficou com Rodrigo Cordaro, que acumulou 207 pontos, seguido de Rodrigo Faiad, com 151, e André Correa, com 127. Na categoria feminina, criada na última etapa da temporada 2013, a campeã da temporada foi Cintia Faiad com 73 pontos, seguida de Roberlena Moraes, com 70 e Claudia Grandi, 35.

Para dar mais emoção ao campeonato, a Polaris acrescentou um toque de adrenalina na competição. No dia seguinte à 6ª etapa foi realizado o Super Prime, uma emocionante disputa de velocidade e tomada de tempo em circuito fechado, na qual participaram os melhores classificados na temporada 2014 da Polaris Cup em cada categoria.

Os pilotos largavam de dois em dois e quem terminava a volta em menos tempo passava para a próxima etapa. Em uma parte do percurso, de três quilômetros, os competidores se cruzavam, formando um X, e no final chegavam juntos, lado a lado. Na final, foram duas largadas, para evitar quaisquer desvantagens nos dois trajetos.

Na modalidade RZR S 800, o campeão foi Guto Herwig, seguido por Helena Deyama. Na RZR 900, o vencedor foi Gustavo “Tatá” Xavier e o segundo melhor tempo foi de Moisés Nivoloni.

image010Já na Super Production, o título ficou com Paulo Rugna e Daniel Costa terminou em 2º. Entre as mulheres, a campeã foi Roberlena Moraes, seguida de Claudia Grandi.

Segundo Fojo, os participantes aprovaram o novo formato e querem que a disputa aconteça novamente em 2015. “Essa foi uma fórmula muito divertida para proporcionamos aos nossos clientes uma pitada a mais de adrenalina e emoção em nossa competição”.

Com uma média de 30 participantes por prova, a Polaris Cup se tornou mais do que uma competição da marca e levantou poeira em mais de 20 quilômetros de pistas técnicas de alta velocidade em todo tipo de terreno, por todo o Brasil.

“Através da nossa disputa, muitos de nossos clientes participaram, também, dos campeonatos de Rally Baja e Cross Country, até então, um universo desconhecido por muitos deles. Iremos mantê-la em 2015 com o mesmo número de etapas, inclusive, a categoria feminina, já que é a oportunidade de inserir toda a família na competição”, finaliza o executivo.

2007-2014 – carrosecorridas.com.br – Todos os direitos reservados – Proibida a reprodução sem autorização.