Reinaldo Varela concorre ao Capacete de Ouro

5 de dezembro de 2014

241638_462056_c60o8049_reinaldovarela_gustavogugelmin_fotomarianchytka_pressComo muitos esportistas, ele é mais conhecido no exterior do que no Brasil. Uma vida dedicada ao Rally. Foram 335 corridas, em 33 temporadas ininterruptas, com 110 vitórias. Bicampeão mundial e heptacampeão brasileiro de Rally Cross Country, entre outros diversos títulos nacionais e internacionais, agora o piloto Reinaldo Varela espera ter o reconhecimento em seu país, como finalista do Capacete de Ouro, o “Oscar” do automobilismo brasileiro, que anunciará os melhores do ano a partir das 20 h do dia 17 de dezembro, no Teatro Cetip – Instituto Tomie Ohtake, em São Paulo (SP).

“Fiquei muito contente em saber que por mais um ano eu fui para a Final. Já conquistei quase tudo o que eu queria no esporte, e em mais de 30 anos de carreira o Capacete de Ouro é a única premiação que ainda almejo”, festejou Reinaldo Varela, em iniciou a sua carreira em Rally de Regularidade no início de 1982.

241638_462054_ch11331_reinaldovarela_pressReinaldo Varela é um dos três finalistas do Capacete de Ouro na categoria Off Road, onde hoje ele é a expressão máxima da modalidade no Brasil, principalmente por ter sido o único brasileiro a vencer o Campeonato Mundial de Rally Cross Country, em 2001 com o navegador Alberto Fadigatti, e em 2012 com Gustavo Gugelmin, com quem torce para a sua grande conquista pessoal. “Espero finalmente ter o reconhecimento da imprensa brasileira”, declara o piloto de 55 anos de idade.

Em 2014 Reinaldo Varela foi o maior protagonista do Rally dos Sertões, vencendo o prólogo e mais cinco dos sete dias da mais importante prova brasileira. Mesmo tendo comemorado a vitória ao final da última Especial, em virtude do acidente com outra dupla a prova foi encurtada e o piloto caiu oficialmente para a segunda colocação.

241638_462055__ch11220_reinaldovarela_gustavogugelmin_press“Não importa se o regulamento estava certo ou errado, mas era o que estava escrito. Eu e o Gugelmin fizemos um bom rally, aceleramos forte e fomos os mais rápidos o tempo todo e só temos o que agradecer e comemorar. Agora quero fechar esta temporada com mais um troféu, desta vez na posição central de minha estande”, planeja Reinaldo, que já tem três Capacetes de Prata e um de Bronze, além de ter sido finalista em diversas edições anteriores quando era entregue troféu apenas para o vencedor.

Fotos: Marian Chytka/Divulgação

2007-2014 – carrosecorridas.com.br – Todos os direitos reservados – Proibida a reprodução sem autorização.