Final do Moto 1000 GP também define equipe campeã

12 de dezembro de 2014

976e13519454000173e6500f1ac1398eA temporada de 2014 do Moto 1000 GP definirá seus campeões neste domingo (14) no GP Cascavel, oitava e última etapa do Campeonato Brasileiro de Motovelocidade. É a segunda vez na temporada que as quatro categorias da competição tomam como palco de disputas o Autódromo Zilmar Beux, onde no dia 31 de agosto aconteceram as provas da quarta etapa. Os organizadores apostam em um público aproximado de 25.000 torcedores.

O evento que vai culminar nas corridas deste domingo não vão definir apenas os campeões brasileiros das categorias GP 1000, GP 600, GP Light e GPR 250. Será a etapa que vai dar números definitivos ao Ranking de Equipes do Moto 1000 GP, uma inovação no âmbito da motovelocidade nacional. O conceito da premiação transcende ao aspecto técnico da competição, é coletivo e não relacionado, necessariamente, ao desempenho dos pilotos. Com pontuação atribuída a cada etapa, a competição segue regulamento próprio e tem seus critérios fundamentados em fatores extra pista.

A equipe que conquistar o título do Ranking receberá, também, o Prêmio Beta, um Carro Especial de Ferramentas Racing, produzido pela Beta Ferramentas, uma das empresas parceiras do Moto 1000 GP, equipamento que é utilizado pela maioria das equipes do Mundial MotoGP. A entrega do equipamento à equipe de melhor ranqueamento acontecerá na Festa dos Campeões, no domingo à noite.

3e38c512d78655f7a15bb91883b8006a“Mais que o valor do equipamento em si, o Prêmio Beta representa uma distinção para as equipes que reconhecem a importância de ter, também nesse aspecto, uma condição compatível com a das principais equipes do Mundial”, diz o organizador do Moto 1000 GP, Gilson Scudeler. A liderança do Ranking a uma etapa do término da temporada é da baiana Aclat Racing. A argentina MGBikes Yamaha e a paulista M2B Racing vêm a seguir na tabela.

A pontuação do Ranking de Equipes leva em conta elementos visuais, atuação logística, ações de comunicação e marketing, fatores administrativos e itens técnicos alheios à pontuação que as equipes amealham no campeonato propriamente dito. “Essa é uma ferramenta para valorizarmos as equipes que demonstram maior grau de profissionalismo no Moto 1000 GP. O ranking serve também como critério seletivo para o campeonato”, explica Scudeler.

Instituído em 2014, o Ranking de Equipes do Moto 1000 GP tem função decisiva na formação do grid da GP 1000 para 2015. Cada uma das 13 equipes de melhor pontuação terá assegurado vagas para dois pilotos no grid da série principal do campeonato, que será limitado a 30 nomes. A cessão das quatro vagas restantes a duas equipes que não estiverem entre as 13 primeiras do Ranking seguirá critérios definidos pela direção técnica do evento.

RANKING DE EQUIPES DO MOTO 1000 GP
(Classificação parcial líquida após 7 de 8 etapas)
1º) Aclat Racing, 108 pontos
2º) MGBikes Yamaha Racing, 99
3º) M2B Racing, 99
4º) Center Moto Racing Team, 96
5º) JC Racing Team, 92
6º) Paulinho Superbikes, 88
7º) Motonil Motors-PDV Brasil, 86
8º) BMW Motorrad Alex Barros Racing, 84
9º) Estrella Gallicia 0,0 by Alex Barros, 84
10º) Playstation-PRT, 84
11º) Motonil Motors-PDV Brasil/RC3, 84
12º) Fábio Loko, 84
13º) Petronas Alex Barros Racing, 83
14º) Team De Grandi, 83
15º) Carlos Barcelos, 82
16º) Team Suzuki-PRT, 80
17º) City Service BSB Motor Racing, 80
18º) Competizione Racing Team, 76
19º) Santin Racing, 66
20º) Black Day Racing Team, 65
21º) Sany/Car System/M2B, 38
22º) Dawnriders Racing Team, 25
23º) Razza Racing Team, 0

Fotos: Equipe Sanderson/Grelak Comunicação

2007-2014 – carrosecorridas.com.br – Todos os direitos reservados – Proibida a reprodução sem autorização.