Mario Salles vai correr pela primeira vez em Curitiba

7 de setembro de 2016

joh_1058-640x414Para este garoto paranaense, o mundo das motocicletas e das competições começou logo cedo e ganhou lugar especial ainda na sua primeira infância, muitas vezes dividindo espaço e atenção entre seus brinquedos, bonecos e videogames. Filho de piloto, Mario Salles Neto, praticamente nasceu dentro das pistas. Jane Agner, 42 anos, estava grávida enquanto acompanhava o marido, Marcos Christian Salles, 42, em suas corridas de motovelocidade. O menino, ainda na barriga da mãe e já se acostumando ao som dos motores, mal sabia que havia sido fisgado pela vocação ao esporte. E não tardou para que o pequeno brincasse de pilotar. Quem o vê hoje, com apenas oito anos, não imagina que o menino tenha uma carreira bastante experimentada.

Mario Salles Neto nasceu na cidade de Paranaguá, no litoral do Paraná, a 90 km da capital do estado. Residentes de Curitiba, os pais decidiram pegar a estrada até o município vizinho para que o filho viesse ao mundo pelas mãos de um amigo médico que ofereceu o parto. Mario nasceu saudável e foi o quarto filho de Jane e o terceiro do casal – e o único que decidiu seguir os passos do pai. Normalmente alegre, reverente e bastante carinhoso, o menino, aos dois anos, já havia recebido o apelido de Pimentinha de seu avô. Porém, não por travessuras ou traquinagens. O menino – o xodó do avô Mario Salles – gostava de imitar o vovô e arrastava sua perninha como se estivesse mancando.

joh_0492-640x427Antes de completar os três anos, Mario teve sua primeira experiência no comando de um veículo de duas rodas – que na verdade foram de quatro. Marcos conta que comprou uma mini moto para o filho, colocou rodinhas laterais de bicicleta para que ela não tombasse para os lados e amarrou uma cordinha para segurar a motoca. “Ele já queria sair correndo”, recorda o pai. Aos quatro, o menino ganhou uma Tr 50 e teve sua primeira experiência no Autódromo Internacional de Curitiba. Porém, não na pista. Nos dias em que tinha competição, Marcos levava o filho e o colocava para treinar no estacionamento.

Não tardou para que Mario começasse a competir de verdade. O menino começou pelas pistas de terra e aos seis anos estreou nos Campeonatos Paranaense e Brasileiro de Velocross. Somente em 2015 alcançou 19 pódios. E junto com a autocobrança por bons resultados nas provas, os pais passaram a exigir dele boas notas no colégio. Mario está no terceiro ano e estuda na Escola Municipal Eny Caldeira. Marcos comenta que o filho é um bom aluno e está com 10 em tudo, exceto em Educação Física, que fechou 87 no boletim. E o principal motivo, disse o garoto ao pai, é que as aulas passaram a ser mais teóricas e a criançada teve que deixar o agito do pátio e das quadras esportivas e voltar à concentração da sala.

joh_1045-640x427Ainda assim, quem pensa que o garoto chama atenção dos coleguinhas por sua carreira esportiva está enganado. Marcos diz que o filho adora brincar na escola e, nestes momentos, nem lembra que anda de moto. Além disso, completa, muitos dos seus amigos nem sabem que ele é piloto. Já quando está com o pai, tudo muda e o esporte se torna central. “Para ele, andar de moto é uma paixão. Passa o dia inteiro falando de moto. Nas minhas largadas, costumava me dar conselhos, como, por exemplo, entrar acelerando nas curvas”, recorda o pai, que deixou de competir para se concentrar na carreira do filho.

Neste ano, um novo caminho se abriu para o garoto de Curitiba. Após ser convidado para participar da temporada 2016 da categoria-escola Honda Junior Cup, Mario agarrou firme a oportunidade e acelerou pela primeira vez uma Honda CG Titan 160 na pista do Autódromo de Interlagos, em São Paulo. Esta foi sua estreia na motovelocidade e o início de uma nova paixão. “Ele pensa em um dia estar no Mundial, assim como o tio Alexandre Barros [como chama o ex-piloto e maior ícone do esporte no Brasil]”, conta o pai.

Após quatro etapas realizadas da Junior Cup, enfim, Mario Salles irá fazer mais uma estreia: correr no autódromo da cidade em que mora. Com o encerramento da primeira fase do SuperBike Brasil, disputada em São Paulo, a capital paranaense abre a segunda metade do campeonato e recebe a 6ª rodada – a 5ª para a garotada – que será realizada no dia 11 de setembro no Autódromo Internacional de Curitiba. E Mario não perdeu tempo e já saiu na frente. “Ele pediu meus vídeos pilotando no circuito para assistir. Toda a noite dá uma olhadinha. Pergunta detalhes técnicos de pilotagem na pista, como qual velocidade entrar em determinada curva ou qual marcha engatar”, completa o pai.

O SuperBike Brasil tem Patrocínio Silver Honda, Mobil, Pirelli e Yamaha. Patrocínio Bronze Premium de Kawasaki, Ducati e MotoSchool. Patrocínio Bronze de Shark, Diafrag, Alpinestars e Tutto Moto.

Texto: VGCOM/Divulgação.

Fotos: Johanes Duarte-VGCOM/Divulgação.

Copyright© 2007-2016 – carrosecorridas.com.br | Proibida a reprodução sem autorização

Tags: