X Rally Team vence o Rally dos Sertões

11 de setembro de 2016

293578_637503_304_rs16_marcelomaragni_071112_web_Foi uma das edições mais difíceis da história do Rally dos Sertões. Por isso, o sabor da vitória vem com ainda mais intensidade. Terminou, na tarde deste sábado (10) em Palmas (TO), a 24ª edição do maior rali sem fronteiras do planeta. A mais longa competição off-road do país contemplou sua mais nova dupla campeã: Cristian Baumgart e Beco Andreotti, com o NWM-Ford Ranger número 304 do X Rally Team, que completou os sete dias e 3.212 quilômetros de prova em um total de 28 horas, 39 minutos e 47 segundos.

“Durante vários anos nós batemos na trave; agora finalmente fizemos o gol. Isso nos tira um peso enorme das costas. Todo mundo que sempre acreditou na gente sentiu a realidade de vencer esse desafio, a luta de todos os anos. Foi algo que construímos, que tanto batalhamos para que acontecesse. Colocamos toda a energia, a vibração de todo mundo, o trabalho da família X Rally Team, para realizar um sonho não só nosso, mas de todas estas pessoas que passaram pela nossa vida durante estes 17 anos”, falou Cristian Baumgart.

Parceiro de Cristian há 15 anos nas provas de ra293578_637497_304_rs16_ricardoleizer_56674_web_lly, Beco Andreotti relatou o alívio com a chegada a Palmas. “Nunca imaginei que a vantagem que acumulamos pesaria tanto nas nossas costas. O sentimento é de dever cumprido. Lutamos muito por isso e por bastante tempo. Escolhemos o caminho certo, o parceiro certo na NWM Motorsport, com um carro excelente. Toda a equipe, estafe, mecânicos, chefe de equipe, cozinheiros, motoristas, todo mundo trabalhou direto, incansável, realmente como uma família e estamos muito felizes com a conquista”, afirmou o navegador.

A vitória veio com dobradinha para a associação X Rally Team/NWM Motorsport, já que o sul-africano Lance Woolridge e o brasileiro Marcelo Haseyama colocaram o Ford Ranger 333 na segunda colocação geral com direito a vitória na especial que fechou o rally na chegada à capital do Tocantins.

“Eu tinha uma missão em mente e sabia que tinha que forçar, e foi o que fizemos. Estou contente que tudo deu certo, e o fato de termos parado no penúltimo dia para ajudar o Cristian e o Beco fez do final ainda melhor porque não perdemos o segundo lugar no final”, lembrou Lance, que ficou mais de 20 minutos parado no Jalapão ajudando os companheiros de equipe a realizarem a troca do semieixo do carro #304, caindo para o terceiro lugar acumulado a apenas nove segundos do Mitsubishi de Guilherme Spinelli/Youssef Haddad.

Na especial final, Woolridge e Haseyama venceram o trecho com 1min15s de vantagem sobre os oponentes, retomando o segundo lugar e fechando o rali como vice-campeões entre os carros. “Um ótimo resultado para nós e para o X Rally Team. Missão cumprida. Foi fantástico. Foi um rally longo, quente, duro e bem mais difícil que os dois anteriores quando estive aqui trabalhando com o time. Eu adorei”, apontou.

Foi a primeira corrida internacional do piloto sul-africano de 25 anos, em uma jornada que foi melhorando dia a dia no entrosamento com um navegador que também enfrentou um desafio: passar as instruções em outro idioma. “Nosso entrosamento ajudou muito a ganhar confiança e dar a velocidade que precisávamos no final. A estratégia do último dia era colocar a faca entre os dentes e basicamente acelerar tudo o que podíamos. Isso fez a diferença. Vencemos uma merecida especial, e este segundo lugar geral vem com gosto de vitória”, destacou Haseyama, que ao lado de Lance fechou a prova a 39min24s dos líderes, garantindo a dobradinha dos NWM-Ford Ranger no Rally dos Sertões.

Texto: CLeber Bernucci/Divulgação.

Fotos: Marcelo Maragni/Fotop-Divulgação.

Copyright© 2007-2016 – carrosecorridas.com.br | Proibida a reprodução sem autorização

Tags: