Pilotos avaliam Primeira etapa do Nordeste de Motovelocidade

13 de junho de 2017

Por Robério Lessa – No último domingo (11) o Autódromo Virgílio Távora, localizado na cidade do Eusébio foi palco da primeira etapa do Campeonato Nordestino de Motovelocidade (Copa SOL), que engloba competidores divididos nas categorias que vão das 125 a 1000 cilindradas.

Com a chuva que caíra pela manhã, os pilotos tiveram um desafio maior para superar nos três quilômetros do traçado com suas oito curvas.

O Carros e Corridas esteve no autódromo Cearense e conversou com os pilotos das equipes Papudim Racing Team e Marques Moto Parts. Acompanhe o relato.

Leonardo Ferreira – Categoria 250cc – Terceiro Colocado.

“Foi uma corrida desafiante, já que esta também era a minha primeira participação em uma competição no motovelocidade. Todo início tem seu desafio e estar ali no grid com outros 19 pilotos é uma sensação desafiante, passa muita coisa em sua cabeça. Fiquei com receio de andar na chuva, mas aos poucos a pista  foi melhorando e, consequentemente, consegui baixar  meu tempo de volta. Quero dar meus parabéns à organização da Copa Sol, na pessoa do Amarilio, que é uma pessoa sensacional! Que venham novas etapas”.

Alexandre Marques – Categoria 300cc – Terceiro Colocado.

“Fiz o quarto melhor tempo no treino classificatório e na corrida consegui manter durante toda a prova em segundo colocado, quando foi faltando apenas duas curvas perdi a segunda colocação e acabei a corrida em terceiro!  Foi um fim de semana muito cansativo com a montagem das motos de corrida, porque além de piloto também sou mecânico da equipe e tive que me redobrar nas duas tarefas. Não é fácil conciliar as duas Atividades.  Gosto muito de andar na Chuva mas o nosso maior problema nessa corrida foi a adaptação com os Novos Pneus da Michelin, o que deu mais trabalho para a gente. Tirando o cansaço a Copa Sol Foi Show”.

Felipe Figueiredo  – categoria 125cc – Primeiro Colocado

“Tive uma classificação complicada  devido a um problema de carburação no treino classificatório, mas conseguimos resolver o problema e conseguimos voltar pra pista e garantir a pole.  Durante a prova, vencemos de ponta a ponta, com uma volta de vantagem no segundo colocado. A chuva, de certa forma,  já que andei aqui com pista molhada durante os track days, o que reforça a necessidade de treinar, e treinar. Estou feliz com o desempenho conseguido e agora é tentar manter a liderança”.

Francisco Carvalho –  Categoria 1000cc – Segundo Colocado/ Categoria 300cc – Primeiro Colocado.

“Foi uma corrida que me exigiu muito. Apesar de pilotar também nas 1000 cilindradas, a moto de 300 cilindradas exige muito da gente, temos que estar atentos o tempo todo, é outra pilotagem, claro que a experiência ajuda, mas com tantos concorrentes fortes eu precisei me superar, por isso acho que foi um resultado fantástico. Quero agradecer aos que ajudaram a estar aqui hoje. Ao Papudim Racing Team pelo convite de correr nas 300 cilindradas onde me deram a moto com tudo! Compraram Pneus, combustível e ajustes para eu participar desta categoria. Obrigado Amilton e Carlos que são responsáveis pela equipe! Agradeço também à minha Equipe “Marques Moto Parts” pela organização e união, na qual, juntos conseguimos um excelente resultado com todos os nossos pilotos no pódium. Agradeço também ao Alexandre Marques pelo esforço de levantar a bandeira de nossa equipe e fazer com que tudo acontecesse. Além disso, não poderia esquecer de minha família por entender e dar apoio ao que me realiza”, disse um emocionado piloto. Quanto a prova das 1000cc tive problemas com a minha moto, que não dava alta rotação, andando apenas com a metade do giro! Mas consegui concluir a corrida ficando em segundo! Parabenizo o piloto Edurdo Formiga (Edu Bala) por mérito do primeiro lugar que fez uma pilotagem fenomenal”.

Rodrigo Magalhães –  Categoria 125cc – Terceiro Colocado.

“Já estou na segunda temporada da Copa Sol. Ano passado corri na categoria Stock 600cc e, na última etapa do ano, decidi correr de 125cc, aí me apaixonei pela moto, por isso  estou correndo de 125 cilindradas. Consegui montar minha moto faltando cinco dias para o início do campeonato. Conseguimos colocar a moto no ajuste. No sábado fizemos um bom tempo. No domingo, na classificação fiquei com a segunda marca. Larguei bem, fiquei em segundo até a nona volta, e na décima dei uma saída de pista, perdi muito tempo e terminei em terceiro. Só tenho a agradecer a todos da minha equipe, da minha família que me apoiou para que eu pudesse estar aqui. Quero elogiar a organização do evento e torço para que tenhamos mais pilotos na próxima etapa. Também queria deixar um recado aos que nos acompanham aqui no site que temos um grupo de pilotos que decidiram abraçar a categoria 125 cilindradas, e ela vai se manter e crescer. Acho que devemos buscar incentivar aqueles que tem vontade de correr e se arriscam nas ruas. Montar uma moto de competição de 125 cilindradas é mais barato que preparar uma moto e sair correndo por aí se expondo e expondo os outros. Lugar de corrida é no autódromo. Aqui tudo ocorre com a devida segurança, ambulância, UTI Móvel, resgate, médico, enfim, os riscos são bem menores”.

A próxima etapa da competição acontece dia 30 de julho, também no Eusébio.

Fotos: Danúsio Jr./Robério Lessa – C&C Fotografias Esportivas.

Copyright© 2007-2016 – carrosecorridas.com.br | Proibida a reprodução sem autorização

 

Tags: