Sul-Brasileiro de Kart revela 13 campeões

2 de abril de 2018

Uma bela festa, com mais de 130 pilotos de oito Estados, marcou a disputa da 21ª edição do Campeonato Sul-Brasileiro, realizada no último fim de semana em Londrina (PR). Muito bem organizada pela Associação de Kartistas da Região de Londrina (AKRL) e com supervisão da Federação Paranaense de Automobilismo (FPrA), a competição teve emoção durante a cerimônias e provas, disputas ferozes – por vezes até demais –, reclamações e comemorações.

As comemorações, é claro, ficaram por conta dos vencedores e dos organizadores. Sem ser open de Brasileiro ou de Copa Brasil, esta edição do Sul-Brasileiro reuniu um dos maiores grids de sua história, iniciada em 1998.

A Graduados teve Olin Galli soberano. O carioca marcou a pole position e venceu as três provas, somando o número máximo de pontos disponíveis na competição. André Nicastro ficou com o vice após três segundos lugares, cabendo a João Renato Corbellini subir no pódio em 3º após uma bela campanha em seu ano de estreia na categoria.

Igualmente pole, João Pedro Maia teve uma vida um pouco mais difícil na Júnior. Ele venceu a primeira bateria e chegou em quinto na segunda, vencida por José Muggiati Neto. Porém, na terceira, que valia uma pontuação maior, o paulista voltou a vencer, descartou a segunda bateria e garantiu o título. O londrinense Luiz Fernando Berbel fez uma campanha de regularidade e, com dois quartos e um segundo, ficou com o vice. Muggiati foi o terceiro colocado.

Alan Synthes e José Pontalti Júnior marcaram a pole na Sênior A e B. Synthes conseguiu manter este domínio nas três provas e, invicto, somou o maior número de pontos na Sênior A, garantindo o título na categoria. Na B o melhor desempenho nas provas acabou ficando com Victor Hugo Carvalho, que levou o título com uma vitória, um segundo e um terceiro. Alessandro Xavier e Marcelo Vaz fecharam os três primeiros na Sênior A, enquanto Fernando Carrara e Pontalti Júnior terminaram em segundo e terceiro  na B.

Com o maior grid em Londrina – 22 pilotos –, a Cadete mais uma vez teve disputas empolgantes. Pole, o catarinense Gabriel Moura venceu a primeira e a terceira bateria, descartou o trceiro obtido na segunda bateria  e levou para Chapecó o título de campeão sul-brasileiro. Heitor Dall’Agnol, que vencera a segunda bateria, ficou com o vice, enquanto Eduardo Araújo, com dois segundos e um quinto, fechou os cinco primeiros.

Pedro Trevisol e Eduardo Guidi marcaram a pole na F4 Graduados e F4 Sênior, que a exemplo da Sênior A e B, competiram juntas. Mas nenhum deles terminaria campeão. Trevisol se esforçou bastante, venceu a última bateria e levava o título, mas uma punição o impediu de comemorar o bicampeonato sul-brasileiro. Desta forma, Lucas do Valle sagrou-se campeão na F4 Graduados depois de uma campanha com duas vitórias e um sexto lugar, este último obviamente descartado. Allan Ramos e Gabriel Sgarioni, ambos com uma bela recuperação na bateria mais valiosa, terminaram em segundo e terceiro.

Renato Cavalcante, com resultados sempre entre os dois primeiros foi o campeão na F4 Sênior. Flaviano Ramos, o atual campeão brasileiro da categoria, e Jeferson Tierling também fizeram provas de recuperação na prova mais valiosa, a terceira, para subir na classificação final e terminar na 2ª e 3ª posição no Sul-Brasileiro.

Filipe Vriesman, na Mirim, foi o campeão mais jovem desta 21ª edição do Sul-Brasileiro. Autor da pole, o pequenino piloto iniciou sua campanha com um segundo lugar para, depois, vencer as duas provas seguintes e comemorar o título. Rafael Diniz e Yuri Morelli, com campanhas de regularidade, foram segundo e terceiro, enquanto Gabriel Reis, vencedor da primeira bateria, foi o quinto.

A F4 Super Sênior teve um único piloto na ponta em todos os resultados importantes. Pole e vencedor das três baterias, Leonil Reis dominou a categoria e levou o título na categoria, sem dar chances aos adversários. César Santos e Osvaldo Otaguiri, o “Samurai Sam”, regulares em seus resultados, fecharam os três primeiros.

A Júnior Menor teve o paulista Guilherme Quinteiro na pole de um grid bastante equilibrado. Nas provas, entretanto, quem saiu-se melhor foi Vinícius Tessaro, que venceu as três e levou o título para Brasília. Raphael Futsuki e Samuel Cruz fizeram boas campanhas para completar as três primeiras posições e garantir o lugar na “volta da vitória”.

Após treinos “tímidos”, Enzo de Sá fez uma bela campanha para garantir o título na Novatos. Com um terceiro e duas vitórias, ele superou 12 concorrentes e comemorou a conquista, dentre eles o pole e vencedor da primeira bateria, Bruno Smielevski. O paraguaio Arthur Rossafa e Gustavo Moura, irmão de Gabriel, campeão da Cadete, fecharam os três primeiros.

A Super Sênior teve Carlos Saderi na pole, mas o título ficaria com o também londrinense Antônio Oliveira Júnior, vencedor da última bateria e dono de um terceiro e um quarto lugares nas outras duas provas. Manoel Queiroz Neto, que venceu a segunda bateria, foi o vice, seguido por Doglas Pierosan.

Por fim, em uma disputa baseada apenas na regularidade e no cuidado com a preservação de seus karts, a Vintage revelou Marcelo Afornali como seu campeão, a bordo de um Kart Mini de 1971. Emílio Afornali, com um Maxi-Mini, também de 1971, foi o vice, seguido por Eduardo Garcia, com um Mini Inter 1979.

Texto: Erno Drehmer/Divulgação.
Fotos: Mário Ferreira/Divulgação.

Copyright© 2007-2018 – carrosecorridas.com.br | Proibida a reprodução sem autorização

Tags: