Impressões ao dirigir: Novo Polo Highline

21 de maio de 2018

Por Robério Lessa – Não é a toa que o Novo Polo foi eleito o melhor “compacto premium” de várias publicações especializadas, pois não lhe faltam predicados para ser merecedor das avaliações positivas do público e da imprensa, sendo premiado pela Revista AutoEsporte; Associação Brasileira da Imprensa Automotiva, Top Car TV, Car Magazine, UOL Carros e Best Car.

Hoje, o Novo Polo tem sido surpreendido nas vendas, a ponto de ocupar o quarto lugar no ranking de vendas de veículos novos, com 17.721 unidades vendidas no primeiro trimestre de 2018, superando até mesmo o consagrado Gol, um dos campeões de vendas da Volkswagen.

O site Carros e Corridas apresenta agora as Impressões ao Dirigir com o Novo Polo Highline 200 TSI, que à primeira análise cumpre o prometido.

Foram oito dias guando o modelo da Volkswagen, que em sua campanha recebeu a alcunha de “Mini Golf”, e, de fato o Novo Polo faz jus ao apelido, dado a sua segurança e “disposição” ao pisar mais forte o pedal da direita.

Lançado em 2017, a nova versão do Polo consegue aliar economia, desempenho e segurança em um carro com motorização 1.0 turbo três cilindros.

De cara o Novo Polo agrada pela beleza, apesar de parecer com o Gol, e esta foi a principal queixa das pessoas que nos abordavam para ver o modelo ao longo do teste drive.

“Gostei muito dele. A cor, os aros, esse interior, é um carro top, o problema é que está a cara do Gol”, disse a jornalista Tayná Nobre, que convidada pelo site experimentou o carro.

Proprietária de um Gol ano 2015, Tayná surpreendeu-se com a resposta do motor 1.0, o que para ela representa segurança na hora de entrar nas vias, por exemplo.

“Sou uma cliente da marca e estou surpresa com esse carro. Acelerei e ele foi logo ganhando a faixa, isso é muito bom, me passou segurança. Também gostei da frenagem, acho que todos os carros deveriam ter freio a disco nas quatro rodas. É importante saber que o carro é capaz de parar quando precisamos que ele pare”, avaliou Tayná, que além do jornalismo é proprietária de uma confeitaria.

A Volkswagen deu ao novo o motor 1.0 turbo três cilindros, que recebeu uma eficiente calibração, a fim de dar-lhe 128cv com uso de álcool combustível e 115 cv com gasolina, e um torque de 20,4 mkgf, independente do combustível, a uma rotação superior a 2.000 RPM.

Aliado a transmissão automática de seis marchas, e utilizando o modo esportivo (S) o Novo Polo é capaz de ir de 0 a 100 km/h em menos de 10 segundos. No caso do nosso teste, realizado ao nível do mar e com a utilização de gasolina aditivada, ele alcançou a marca em 9,82s.

A transmissão automática é outro ponto alto do modelo. Sua eficiência é percebida nas mudanças rápidas e precisas, sem aqueles trancos, o que resulta em economia, sobretudo usando a posição D.

Para quem gosta de ter o controle das mudanças de marcha, é oferecia da opção de troca deslocando a alavanca do câmbio para à direita, acionando assim as mudanças em modo manual, podendo ser efetuadas na própria alavanca ou nas “borboletas” (Paddles Shift) acoplados ao volante.

Com desempenho garantido, a preocupação com as frenagens é a primeira coisa que se tem em mente e começando pelo contato com o solo, os pneus aro 16”aliados a um sistema com disco nas quatro rodas, e a utilização do sistema M-ABS, asseguram a frenagem sem sustos mesmo em situações de emergência.

Cercado da segurança que um teste desta natureza exige, experimentamos parar o carro simulando uma situação de emergência vindo a 100 Km/h, e o resultado foi a confirmação da qualidade do sistema ABS, sem sustos, sem mudança de trajetória e com um ganho de um recurso que deveria ser estendido a todos os modelos de veículos de quaisquer montadoras, o Emergency Stop Signal (ESS).

Fazendo a tradução devida, o Sinal de Frenagem de Emergência entra em funcionamento quando há o uso do freio de modo emergencial, como o simulado, alertando a quem vem atrás e assim, evitar colisões traseiras. Basta pressionar o freio de forma mais contundente que, além de manter a frenagem mais consistente, o sistema aciona as luzes de frenagem de forma intermitente que só param de piscar quando totalmente imobilizado e aí, imediatamente são acionadas as luzes de pisca alerta para indicar que o carro está parado.

O Novo Polo garante bom conforto aos dois ocupantes dos bancos dianteiros e, dependendo do tamanho de quem vai à frente, os que usam o banco traseiro podem gozar de um espaço razoável. Para estes passageiros é disponibilizada saída de ar, que, nas terras aqui da Região Nordeste, asseguram maior distribuição do ar-condicionado aos “caroneiros”.

A fim de melhorar o espaço interno, a montadora alemã deu ao modelo mais 16,7 cm no comprimento, 10 cm no entre-eixos e 10 cm na largura em relação ao modelo de 2015.

Uma das coisas que mais chamam a atenção no Novo Polo é seu painel. Tanto a jornalista Tayná Nobre quanto a fotógrafa Camila Gurgel destacaram os recursos que a central de multimídia oferece e a beleza do quadro de instrumentos.

Destaca-se ao centro central de fácil interface, sobretudo quando utilizado com os sistemas Apple Car Play e Android Auto, permitindo conexão ao smartphone do motorista, aliado a um espaço para deixar o celular com uma entrada USB, que, além de servir como carregador veicular, conecta o telefone sem a necessidade do Bluetooth, podendo este também ser utilizado para conexão.

“É muita funcionalidade reunida no painel. Além de comandar o rádio, o CD (CD e cartão SD podem ser adicionados no compartimento do porta-luvas, que tem também refrigeração separada, útil para deixar a água, por exemplo, em temperatura mais baixa), o celular e o GPS. Já vi isso em outros carros, mas aqui ele está bem funcional e bonito”, avaliou Tayná.

Para Camila, além do que destacara Tayná, os comandos satélite no volante complementam a funcionalidade de tudo.

“Acho que é uma soma de tudo. O painel, o display no centro, o volante e o comando do ar condicionado. Tudo está em harmonia. Gosto muito de poder atender o celular com um toque no botão da direção, sem ter que tirar a mão do volante. Gosto de ficar informada de quantos quilômetros ainda posso andar com a quantidade de combustível no tanque, isso ajuda a gente na hora de sair de casa e traçar o roteiro por aonde iremos. É um carro que atendeu minhas exigências, mas para ficar cem por cento, só deveria aumentar o tamanho dos retrovisores, eu achei-os pequenos para o carro”, disse a fotógrafa.

A queixa de Camila é procedente. Os retrovisores poderiam ser maiores e, para amenizar esse problema, o carro vem com sensores de aproximação que alertam o motorista da proximidade de outros veículos ou obstáculos.

Para finalizar, o Novo Polo mostrou-se um carro relativamente confortável, tanto no uso urbano quanto na estrada. Sua suspensão pode ser considerada como meio termo entre conforto e esportividade dura o suficiente para transmitir segurança, e capaz de absorver as imperfeições do pavimento irregular.

Quanto à economia, a média de consumo (gasolina aditivada em uma cidade ao nível do mar) apontada pelo sistema ficou em 12,8 km/l, mesclando o roteiro na estrada e na cidade.

Em síntese, a Volkswagen acertou no Novo Polo, e o modelo testado (Novo Polo Highline 200 TSI) pode ser considerado como uma boa compra em se tratando de um Hatchback Médio.

O Novo Polo Highline 200 TSI é comercializado em sua versão básica R$ 69.190,00. O modelo testado é comercializado por R$ 74.000,00 citados.

Texto: Robério Lessa.

Fotos: Camila Gurgel

Copyright© 2007-2018 – carrosecorridas.com.br | Proibida a reprodução sem autorização

Tags: