Alex Barros conquista mais um pódio no SuperBike Brasil

17 de setembro de 2018

Mais uma rodada emocionante no SuperBike Brasil. A sexta etapa realizada neste domingo (16), no Autódromo Internacional  Ayrton Senna, em Goiânia (GO), foi cheia de pegas, adrenalina e ainda contou com variações nas condições da pista, com o traçado seco e molhado. O fato trouxe ainda mais emoção às disputas das duas corridas. Alex Barros liderou a prova um e foi superado a dois giros do fim, completando em segundo a uma diferença mínima de 0.559. Na bateria dois, o piloto da Alex Barros Racing fez novamente boa largada e, mesmo com problemas no decorrer da prova, faturou o pódio com um terceiro lugar.

Com o resultado, Barros sai de Goiânia em segundo na classificação da categoria SBK PRO, com 133 pontos. Lucas Torres, dono da BMW S 1000 RR número 77, sofreu uma queda ainda no warmup e com dores não teve condições de correr nas duas provas em Goiânia. A sétima etapa da competição acontece no dia 11 de novembro, em Londrina (PR).

A primeira corrida do dia no circuito goiano foi realizada ainda com um clima ameno e pista seca. Alex Barros largou bem e saltou para a primeira posição. O experiente piloto tinha ritmo forte e liderou a disputa praticamente até o fim. Na quarta volta, o concorrente Eric Granado chegou a ultrapassar em uma manobra pelo lado de dentro do S, mas poucos metros à frente, o dono da BMW S 1000 RR número 4 devolveu a ultrapassagem, reassumindo a liderança. Ambos fizeram boa disputa pela ponta, mas Barros soube se defender bem ao longo da prova. Na abertura do nono giro, os pilotos quase se tocaram. Eric colocou por dentro na reta oposta e conseguiu a primeira posição. Alex Barros ainda tentou recuperar o primeiro posto nas duas voltas finais, mas completou em segundo lugar a 0.559 do líder. Com isso, faturou um novo pódio na temporada.

A segunda corrida em Goiânia contou com uma pista em situações diferentes. Uma chuva a poucos instantes da largada atrasou a disputa, mudou completamente o cenário e deixou o circuito com condições adversas, obrigando pilotos e equipes a mudarem suas estratégias e acertos na última hora. Alex Barros saltou para a ponta na largada e tentou abrir nas primeiras voltas, mas seus concorrentes Eric Granado e Danilo Lewis também tinham ritmo forte e fizeram uma briga intensa. Até que na volta cinco, Lewis, que era terceiro, superou Granado e, na sequência, ultrapassou Barros. Poucos metros a diante, Alex não conseguiu se defender do ataque de Eric, que acabou assumindo a segunda posição. Com problemas na suspensão traseira, Alex segurou o ritmo para completar em terceiro lugar.

Alexandre Barros fez suas considerações sobre as disputas em Goiânia. “A primeira corrida foi boa. Fizemos um acerto para a disputa para ver se a moto melhorava a estabilidade de traseira. Acabou que o acerto era muito duro. Quando o pneu começou a ter desgaste, nas últimas cinco voltas, eu acelerava e a moto quicava muito a traseira e eu não conseguia tracionar como deveria. E, com isso, não consegui acompanhar o Eric quando ele me passou, pois eu perdia muito nas saídas de curvas. Na segunda corrida choveu no alinhamento, e tivemos que mudar tudo de última hora. Fizemos um acerto ‘no escuro’, como todo mundo. Infelizmente, minha moto de frente estava muito dura. Fico triste, pois se a suspensão tivesse melhor, acredito que daria pra brigar mais”, pontuou o piloto de 47 anos.

Barros fez questão de ressaltar a conquista do concorrente Danilo Lewis. “Fico feliz pela vitória do Danilo Lewis. Ele fez um ‘corridaço’ e está de parabéns. É um piloto que acompanho há muitos anos e ele sabe minha admiração por ele. Mereceu essa vitória, que foi muito bonita. Além do mais, é bom para o campeonato mais um piloto vencendo”, disse.

O chefe da equipe também avaliou a situação de Lucas Torres e falou sobre a decisão dele não disputar a sexta etapa. “O Lucas caiu e bateu a cabeça forte durante o warmup. Foi para o hospital para realizar exames. Ele não teve nada mais grave, mas ficou sonolento, com reflexos lentos e não estava bem. Então, preferimos abortar a participação dele, pois não era seguro ele correr deste jeito”, avaliou.

Lucas Torres lamentou o ocorrido. “No tombo, tive um impacto muito forte na cabeça. Também tive algumas escoriações e uma queimadura. Felizmente, meu capacete LS2 e meus outros equipamentos são bons e suportaram bem a queda, o que me ajudou a não ter nada mais sério. Estou bem chateado, porque gostaria de estar no grid, mas não tinha condições ideais para largar”, contou o piloto de 19 anos.

Texto: FGCom/Divulgação

Foto: Divulgação

Copyright© 2007-2018 – carrosecorridas.com.br | Proibida a reprodução sem autorização

Tags: