Velocidade em família – Gustavo Borges surpreende em estreia no Automobilismo Virtual

19 de junho de 2020

No sangue da família Borges Carioca parece ter algo a mais além de plasma e plaquetas, o amor pela velocidade e o talento para dominar as máquinas.

O primeiro a colocar seu talento à prova foi  Marcus Carioca, que se aventurou em provas de Rally no comando de um quadriciclo, mas não deu continuidade a sua empreitada quando o filho mais velho, Marcus Borges – Kinho deu mostras que era diferenciado logo no primeiro contato com um kart indoor e não deu outra,  hoje ele é apontado como um dos melhores pilotos de kart do país, e dono de cinco título de Campeão Brasileiro de Kart.

O que poucos esperavam era que Gustavo Borges, irmão mais novo de Kinho, um habilidoso volante no futsal e no futebol e dono de inúmeros títulos no futebol desde as categorias de base, fosse surpreender também ao volante.

Hoje, aos 18 anos, Gustavo estreou nas duas últimas etapas da primeira edição do Campeonato Cearense de Automobilismo Virtual mostrando que o outrora brinquedo seria elevado a um patamar bem mais alto, a ponto de ingressar no Campeonato Brasileiro de Gran Turismo com apoio da Federação Cearense de Automobilismo, do Kart Clube Iguatemi, Laredo Distribuidora de Alimentos, All Burguer e XM Locação.

Neste domingo (21), o cearense, que vai correr com o nick name “FCA_Gustavo 77”, será o terceiro cearense na competição virtual, ao lado do irmão Marcus Borges- Kinho e João Filho depois de ter conquistado o vice-campeonato cearense na categoria Light.

Com duas corridas a menos que os outros competidores, Gustavo Borges acelerou forte seu carro 77 (mesmo número usado pelo irmão Kinho) e venceu as duas etapas finais além de marcar a melhor volta nas duas etapas. O resultado deu a ele o vice-campeonato, feito comemorado por ter superado nas duas corridas o experiente Thiago Barbosa, que foi o campeão.

Perguntado sobre como ele encara o Automobilismo Virtual que, há algum tempo atrás era uma de suas brincadeiras ele respondeu: “Sempre que é uma competição a gente tenta levar o mais a sério possível. A gente treina pesado, madrugadas e madrugadas pra dar sempre o nosso melhor é deixar quem tá torcendo feliz”, disse o piloto que avaliou a competição. “Foi um campeonato bastante disputado, tive a infelicidade de dar problema de conexão nas duas primeiras, mas na semana fui atrás e consegui resolver pras duas últimas e consegui dar o melhor e vencer com as melhores voltas”, completou.

O atual vice-campeão cearense na categoria Light também falou sobre o apoio que recebe do irmão Kinho. “Ele me ajuda muito nos treinos, sempre dando dica de estratégia, traçado, de marcha nas curvas, de freio, sempre querendo e buscando sempre o melhor pra gente, e sabemos que ele é uma referência pra todos e ter ele me ajudando aqui é muito bom. Agora com minha subida para a categoria graduado, a gente vai ter que correr juntos, mas a gente é sempre muito unido e com isso vamos nos ajudar ainda mais, mesmo correndo juntos”, disse.

Gustavo lembra que o mais difícil é conciliar os estudos e o esporte, mas não faz disso um problema, e sim mais um obstáculo a ser superado. “O mais difícil mesmo é conciliar tudo, estudo e treino do virtual. O mais difícil é tentar sempre melhorar e ir em busca dos tempos dos melhores como o Rafael Fontenelle e o Kinho. Agora com tudo que tá acontecendo no virtual, a gente até sonha em participar de alguma competição, por estar rápido e andando bem a gente vê isso como um futuro provável. Vamos ver no que dá”, concluiu.

Texto: Robério Lessa

Fotos: Arquivo pessoal do piloto

Copyright© 2007-2020 – carrosecorridas.com.br | Proibida a reprodução sem autorização

Tags: